terça-feira, 30 de novembro de 2010

Se um cachorro fosse professor...


Texto de Ramiro Ros

Se um cachorro fosse professor, você aprenderia coisas assim:
Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro.
Nunca perca uma oportunidade de ir passear.
Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto.
Mostre aos outros que estão invadindo o seu território.
Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar.
Corra, pule e brinque todos os dias.
Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem.
Não morda quando um simples rosnado resolve a situação.
Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore.
Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo.
Não importa quantas vezes o outro te magoa, não se sinta culpado...volte e faça as pazes novamente.
Aproveite o prazer de uma longa caminhada.
Se alimente com gosto e entusiasmo.
Coma só o suficiente.
Seja leal.
Nunca pretenda ser o que você não é.
E o MAIS importante de tudo....
Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio, fique por perto e mostre que você está ali para confortar.

A amizade verdadeira não aceita imitações!!!


Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


Unicef lista dez maneiras de contribuir para uma infância sem racismo
Brasília - O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lança hoje (29) uma campanha para combater o racismo contra crianças negras e indígenas. Uma dos objetivos é orientar os adultos sobre como tratar o tema da diversidade com as crianças e evitar que o preconceito se perpetue. Veja dez dicas listadas pelo fundo para lidar com a questão:


1. Eduque as crianças para o respeito à diferença. Ela está nos tipos de brinquedos, nas línguas faladas, nos vários costumes entre os amigos e pessoas de diferentes culturas, raças e etnias. As diferenças enriquecem nosso conhecimento.

2. Palavras, olhares, piadas e algumas expressões podem ser desrespeitosas com outras pessoas, culturas e tradições. Indigne-se e esteja alerta se isso acontecer!

3. Não classifique o outro pela cor de pele; o essencial você ainda não viu. Lembre-se: racismo é crime.

4. Se seu filho ou filha foi discriminado, abrace-o, apóie-o. Mostre-lhe que a diferença entre as pessoas é legal e que cada um pode usufruir de seus direitos igualmente. Toda criança tem o direito a crescer sem ser discriminado.

5. Não deixe de denunciar. Em todos os casos de discriminação, você deve buscar defesa junto ao conselho tutelar, às ouvidorias dos serviços públicos, da OAB e nas delegacias de proteção à infância e adolescência. A discriminação é uma violação de direitos.

6. Proporcione e estimule a convivência de crianças de diferentes raças e etnias nas brincadeiras, nas salas de aula, em casa ou em qualquer outro lugar.

7. Valorize e incentive o comportamento respeitoso e sem preconceito em relação à diversidade étnico-racial.

8. Muitas empresas estão revendo sua política de seleção e de pessoal com base na multiculturalidade e na igualdade racial. Procure saber se o local onde você trabalha participa também dessa agenda. Se não, fale disso com seus colegas e supervisores.

9. Órgãos públicos de saúde e de assistência social estão trabalhando com rotinas de atendimento sem discriminação para famílias indígenas e negras. Você pode cobrar essa postura dos serviços de saúde e sociais da sua cidade. Valorize as iniciativas nesse sentido.

10. As escolas são grandes espaços de aprendizagem. Em muitas, as crianças e os adolescentes estão aprendendo sobre a história e a cultura dos povos indígenas e da população negra e como enfrentar o racismo. Ajude a escola de seus filhos a também adotar essa postura.

Edição: Graça Adjuto

Do Blog TERRA BRASILIS.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Entendendo a música se essa rua fosse minha.

 *Esclarecendo, citei apenas um trecho desta música, sei que muitos pensam que vou explicar a música em seu contexto, porém não é isso, quando escrevi esse texto, foi para calhar com os problemas da minha cidade onde as ruas se encontravam em duradouro abandono pela administração municipal, portanto, o texto é para uma determinada localidade, e para um dado momento histórico, não esperem que eu vá aqui esmiunçar a letra e a música, pois não foi esta a minha intenção.


♫ "Se essa rua, se essa rua fosse minha
 Eu mandava eu mandava ladrilhar
 Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhante
 Para o meu, para o meu amor passar" ♫

Assim nos diz a cantiga de roda que aprendemos quando criança, ela fala na necessidade de se pavimentar, ladrilhar uma rua, a nossa rua  para que a pessoa a quem amamos passe por ela com dignidade. O autor que é desconhecido, mostrou preocupação com a rua de seu bairro e lamenta ele não ter as condições de fazer a melhoria que sua rua necessita, percebemos que na música, o autor também já perdeu as esperanças de que sua rua será um dia melhorada, e  num devaneio de mente assistido apenas aos que amam, ele sonha com sua rua transformada, pavimentada com pedrinhas de brilhante, fazendo deste sonho a descrição deplorável e atual de sua rua. 
O autor sonha com uma rua que seja contrária com aquela em que ele vive, uma rua sem buracos, sem poeira, uma rua dígna de se morar de se andar de se transitar, a lamúria deste autor é para que sua rua seja provida das condições de uso, para que não o envergonhe, para que não transtorne nem a ele e nem ao amor de sua vida quando este vier lhe fazer uma visita.
"-Ah, se eu morasse numa rua bonita!... esta é a descrição que o autor faz de sua rua, esta é a mensagem que ele passa, a de que sua rua está sem condições de ser percorrida, em forma de cantiga ele faz o seu lamento, de forma subentendida,  ele pede socorro a quem seja responsável pelas ruas, ele clama, "Arrumem minha rua, pois eu já não aguento mais viver nestas condições, basta de transtorno com esta rua!"

Portando prezado leitor, esta é a real mensagem que o autor passa nesta música, a informação de que sua rua está abandonada e precisa de cuidados, no desespero do abandono, ele sonha com ele próprio, provendo as necessidades de sua própria rua, e num cuidado de extremo esmero, ele se imagina pavimentando sua rua com pedrinhas de brilhante, pois é tamanha as péssimas condições que se encontra sua pobre, porém querida rua. 

Há músicas que dizem muito sobre nós, com quem nos identificamos, parece que determinadas músicas falam com exatidão sobre nossa vida.
É claro que não esperamos milagres, é óbvio que não esperamos pisar em pedras de brilhantes servindo de pavimentação em nossas ruas, queremos apenas vê-las mudadas, em condições que não nos transtorne, esta é a real mensagem do autor na cantiga "Se esta rua fosse minha". 

Se você não tem este costume, passe a prestar atenção em determinadas músicas, analise suas letras, as mensagens que elas passam, a grande maioria das músicas são moldadas nas condições do cotidiano das pessoas, e muitas músicas se assemelham com a nossa história de vida, até mesmo as cantigas de roda tem muito de nós inserido em suas letras. A partir de agora, ouça as músicas buscando o sentido de suas mensagens, elas falam muito de você, elas dizem muito sobre nós, pensemos nisso.

Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

domingo, 28 de novembro de 2010

Casseta e Planeta sai do ar em dezembro.

Mais sem graça do que sopa rala de hospital, o programa casseta e planeta vem a dezoito anos sendo apresentado pela rede globo de televisão, com humor fraquissimo, que provoca raiva e não risos, feito na grande maioria com imitações ensosas, o programa ficou no ar por quase duas décadas, não entendemos porque o "humorístico" permaneceu na ativa por tanto tempo, sendo que outros como armação ilimitada, sai de baixo e toma lá da cá com qualidade superior já a tempos deixaram de ser apresentados. Oxalá que junto com o casseta e planeta a rede globo também nos livre do zorra total, para que as noites de sábado seja ocupada com algo que valha a pena ligar o televisor. Portanto, a rede globo promete mudanças nas noites de terça-feria em 2011, Casseta e planeta se despede da telinha em dezembro, no entanto não deixará saudades.

sábado, 27 de novembro de 2010

Antonio conselheiro


Em sua grande maioria, segundo a história que nos é passada, Antonio Conselheiro tem a imagem de um louco, de um beato de mente transtornada que se tornou uma afronta ao progresso e à ordem em que o Brasil vinha passando, uma vez que a república vivia seus primeiros momentos.

Esta é a opinião que prevalece sobre o homem que liderou o levante de Canudos e trouxe para junto de si, uma leva de seguidores das mais diferentes camadas sociais. O intuito de ofuscar o brilho de Antonio Mendes Maciel, o Antonio Conselheiro, foi e é para mostrar que a legalidade e a razão estava, com a classe dominante e não com aqueles rebeldes e fanáticos que se aglomeraram no Monte Santo.

Porém outra visão sobre o que aconteceu na Bahia nos primeiros anos da república é permitido. Desde que tomemos cuidado em analisar sobre outra ótica, o que foi o episódio de Canudos e o que pregavam Antonio Conselheiro e seus seguidores mais próximos.

Na carência de líderes, de homens de carisma e persuasão, Antonio conselheiro se destaca não só no Brasil, mas também na América Latina ou até mesmo no mundo. Muita coisa foi escrita tentando tirar o destaque ou até mesmo não apontando as qualidades deste homem que se posicionou contra os dominantes e opressores do seu tempo, governos, igreja, coronéis e imprensa, confabularam contra o homem que construiu no nordeste, um refúgio onde era possível assistir aos oprimidos e os miseráveis, encontrando no discurso e nas ações de Conselheiro, verdades que iam de encontro aos seus anseios.

Nem só de flagelados era formado o grupo e Antonio conselheiro, juntos com este estiveram, doutores, intelectuais e outros que não suportavam as injustiças nem os desmandos das classes dominantes.

O levante de Canudos destacou-se por seu sucesso contra os poderosos no Brasil, por três vezes, conselheiro e seu grupo derrotaram as investidas do governo de Prudente de Moraes, o Arraial de Canudos só foi derrotado, quando uma mobilização do governo republicano, levou até a Bahia uma artilharia em dimensões desproporcionais ao exército de conselheiro, quando também um grande número de soldados de todos os estados da federação, aniquilaram os sonhos de liberdade pregados em terras de conselheiro.

Com o fim do arraial de Canudos e de Antonio Conselheiro, ficaram ainda seus discursos, plantados nas mentes dos sobreviventes e de todos que anseiam por liberdade. Liberdade também defendida antes por Zumbi dos Palmares e depois por Ernesto Che Guevara, a luta pela justiça onde a igualdade e a dignidade abrace a todos os homens, independente de sua origem ou posição social e geográfica. Viva Antonio Vicente Mendes Maciel, Viva o Arraial de Canudos, Viva o ato de Conselheiro.

Por: Mateus Brandão de Souza. Graduado em História pela FAFIPA.

Guerra do Paraguai.

"Muero con mi patria" - Francisco Solano Lopez.
Nenhuma grande potencia vê com bons olhos outro país ser de fato independente. É inaceitável a um país dominante ver outra nação caminhar com suas próprias pernas.

Nos tempos áureos da dominação inglesa também foi assim, era uma outra história o Paraguai do século XIX, rica e revolucionária até 1864, a pátria guarani era realmente livre. Esta situação incomodou aos ingleses, pois até então, ao contrário dos demais países sul-americanos, o Paraguai não estava subordinado a nenhuma potência estrangeira.

 O domínio inglês por sua vez, buscou a estratégia específica para aniquilar o Paraguai, a independência paraguaia era uma afronta à soberania inglesa, já que não conseguia impor ao governo de Solano Lopes o que impunha ao resto da América.

 Neste tempo, na busca por um acesso ao mar, nossos vizinhos paraguaios se desentenderam com brasileiros, argentinos e uruguaios, a partir deste fato, o Paraguai próspero e referente que não abriu as suas portas para o potencialismo  inglês impor sua política de livre comércio, "escreveria" seu óbito.

 Foi desta forma que se deu um dos maiores fratricídios do mundo, a guerra da tríplice aliança (1864 a 1870), conhecida por nós como guerra do Paraguai. Contra a pátria paraguaia de Solano Lopez, puseram-se Brasil, Argentina e Uruguai, todos munidos e assistidos pelo poder bélico e imensurável da Inglaterra. À frente deste combate, esteve o Brasil, marionete dos ingleses, nosso país foi de maneira covarde, um algoz contra os irmãos paraguaios. Numa luta desproporcional, o Paraguai próspero sucumbiu-se à ruínas, e o que era de um país rico, restou as cinzas de um passado e de um povo que já respirou dignidade.

 Hoje o Paraguai divide com a Bolívia o posto de país mais pobre da América do Sul, onde o comércio ilegal tem sido a principal fonte de renda de uma população que como em vários países do continente, foi marcado pelo descaso de longos governos ditatoriais.
 O que agora é um país inexpressivo no cenário capitalista, foi um dia um país rico e dono do seu próprio sustento. O mundo conheceu a dois Paraguais, a história é testemunha de dois destinos num só país, um de sucesso e exemplo nas Américas, e o de hoje, que sobrevive na exclusão do sistema capitalista.
Paraguai, Paraguai quem te viu quem te vê 


Por: Mateus Brandão de Souza: Graduado em História pela FAFIPA.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Já sinto saudades.


Por Hilda Suzana Veiga Settineri.

Nas rodas sociais e nos jantares de recepção de autoridades sempre se pronunciou nomes de bebidas com sotaques alienígenas. Cachaça. Uma heresia que não se adequava ao status que um Presidente da República possui, melhor seria, uma cálice de vinho da melhor safra da Borgonha, mais ainda um wiskie escocês envelhecido, mas, o simples homem preferia uma boa cachaça, branquinha, pura, e tantas adjetivações que a criatividade do brasileiro lhe emprestou. Como cidadão simples e de origem humilde começo a sentir saudade. Luiz Inácio, me era parte de cada um dos brasileiros que se sentiam representados na figura do Presidente da República.
Estranho fato, desde minha mocidade, aprendi a ficar feliz com a mudança de governo. Era sempre uma esperança que nascia. Cria-se que algo pudesse melhorar. As pequenas conquistas eram vistas como dádivas, tão menor era o sentimento mais nobre de um cidadão: a dignidade. Agora, começando a contagem regressiva e me sinto como se estivesse arrumando as malas, também desocupando um espaço no Planalto Central do Brasil. Esse misto de tristeza e alegria deve estar tomando conta de milhões de brasileiros.
Não é um mito. É um homem simples. Um igual que nos orgulhou. Não lhe apertei a mão, nem o conheço pessoalmente, mas existem tantas coisas em comum que o sinto como um irmão mais velho, seguro, dócil o suficiente para sentar-se ao meu lado e colocar a mão sobre o ombro e transmitir toda a confiança do mundo.
A confiança que fez investidores desconfiados se tornarem parceiros, que fez adversários reconhecerem méritos e o Brasil crescer como nunca havia feito antes. Luiz Inácio, tão brasileiro que seu maior sonho foi proporcionar um prato de comida ao mais humilde. Luiz Inácio que sempre acreditou no Brasil. As ondas que sacudiam o mundo, para ele, simples marolas.

As pessoas simples, já sentem saudade desse “paizão” que jamais deixará de ser o Presidente do Coração dos brasileiros. Luiz Inácio, bravo!


Lula chora.

Esta postagem é mais uma das tantas maneiras de mostrar a gratidão do povo ao bom presidente que foi Lula, o retirante nordestino que chegou ao posto de presidente da república. Mesmo que você, arrogante, dono de si ache que Lula seja um burro, sabemos que você não tem razão, você também sabe, sabemos que é apenas o teu preconceito, sabemos ainda que os arrogantes e os odiosos iguais a você são muitos, porém, muito mais são aqueles que reconhecem na pessoa de Luís Inácio Lula da Silva um homem que trabalhou pelos desvalidos e é sem dúvida o melhor presidente da história deste país.

A pernambucana, brasileira e guerreira dona Hilda, com toda sua humildade e com a alma transbordando em agradecimento fez o presidente Lula chorar num seminário em Brasília sobre aquisição de alimentos da agricultura familiar. Por isso, pernóstico arrogante, engula mais essa derrota, veja no rosto feliz do povo marginalizado o reflexo da bondade do homem que o teu ódio, a tua praga e a tua estupidez não conseguiram derrubar. confira o vídeo e cubra-te no amargor de tua contrariedade.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Belo Belo

Belo belo minha bela

Tenho tudo que não quero
Não tenho nada que quero
Não quero óculos nem tosse
Nem obrigação de voto
Quero quero
Quero a solidão dos píncaros
A água da fonte escondida
A rosa que floresceu
Sobre a escarpa inacessível
A luz da primeira estrela
Piscando no lusco-fusco
Quero quero
Quero dar a volta ao mundo
Só num navio de vela
Quero rever Pernambuco
Quero ver Bagdá e Cusco
Quero quero
Quero o moren0 de Estela
Quero a brancura de Elisa
Quero a saliva de Bela
Quero as sardas de Adalgisa
Quero quero tanta coisa
Belo belo
Mas basta de lero-lero
Vida noves fora zero.

Manuel Bandeira
(1886-1968)




Bar X Academia

Autor desconhecido.

Por que será que é mais fácil freqüentar um bar do que uma academia?

Eu já frequentei academia umas vezes. Durou menos de um mês, mas freqüentei. Depois desencanei.

Mas essa pergunta é realmente interessante e nos faz pensar o porque é muito mais facil freqüentar um bar do que uma academia.

Vamos ver porque isso acontece:

O bar já sai com uma vantagem numérica:
- Existem mais bares do que academias. Logo, é mais fácil encontrar um bar no seu caminho.
1 x 0 pro bar.

Ambiente:
- No bar, todo mundo está alegre. É o lugar onde a dureza do dia-a-dia amolece no primeiro gole de cerveja.
- Na academia, todo mundo fica suando, carregando peso, bufando e fazendo cara feia
2 x 0 pro bar.

Amizade simples e sincera:
- No bar, ninguém fica reparando se você está usando o tênis da moda. Os companheiros do bar só reparam se o seu copo está cheio ou vazio.
3 x 0 pro bar.

Compaixão:
- Você já ganhou alguma saideira na academia? Alguém já te deu uma semana de ginástica de graça?
- No bar, com certeza, você já ganhou uma cerveja 'por conta'.
4 x 0 pro bar.

Liberdade:
- Você pode falar palavrão na academia?
5 x 0 pro bar.

Libertinagem e democracia:
- No bar, você pode dividir um banco com outra pessoa do sexo oposto, ou do mesmo sexo, problema é seu...
- Na academia, dividir um aparelho dá até briga.
6 x 0 pro bar.

Saúde:
- Você já viu um 'barista' (freqüentador de bar) reclamando de dores musculares, joelho bichado, tendinite, essas coisas?
7 x 0 pro bar.

Saudosismo:
- Alguém já tocou a sua música romântica preferida na academia? É só 'putz-putz', né?
8 x 0 pro bar.

Emoção:
- Onde você comemora a vitória do seu time? No bar ou na academia?
9 x 0 pro bar.

Memória:
- Você já aprontou algo na academia digno de contar para os seus netos?
10 x 0 pro BAR!!!

PS: Você já fez amizade com alguém bebendo Gatorade?

ENTÃO, VAMOS PRO BAR!



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Cultura popular nordestina.

Trupizupe.

Trupizupe o raio da silibrina, é um personagem da cultura popular nordestina, trata-se de um cabra espertalhão tipo João Grilo do auto da compadecida e mais valente que o próprio Lampião, criado pelo escritor paraibano Bráulio Tavares, Trupizupe tornou-se lendário pelas plagas do nordeste e é considerado o maior violeiro de todos os tempos, sem nunca ter perdido um desafio.
Porém, como tudo tem o seu fim, o reinado de Trupizupe terminou no dia em que ele topou com Jessier Quirino e aconteceu o maior desafio de todos os tempos, onde Trupizupe foi surpreendido pela maestria de Quirino. Há dois vídeos a seguir, um é de Zé Ramalho onde ele conta em detalhes quem é Trupizupe, o segundo é de Jessier Quirino, peitando com autoridade a valentia o já não tão imbatível  Trupizupe, confira:



Aqui Jessier Quirino "cala a boca" de Trupizupe.



Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Morre d'iabo.

Os horrores do mundo das drogas.

Emílio Eduardo da Rocha tem 32 anos é morador de São José dos Pinhais no Paraná, segundo familiares, Emílio é a 10 anos usuário de crack e cocaína, cai sobre este indivíduo a acusação de ter matado a própria mãe Maria Cícera 65 anos a golpes de panela e faca, após o crime, Emílio fugiu com o carro da vítima, sendo capturado pela polícia na cidade de Cerro Azul, região metropolitana de Curitiba.
Na delegacia além da frieza do acusado ao contar aos policiais os requintes de crueldade com que praticou o crime, chamou a atenção o estado alterado com que ele respondia às perguntas dos repórteres, confira no vídeo de Álvaro Borba:

Marcelo Adnet ironiza eleitores elitistas no Comédia MTV

O comediante Marcelo Adnet, em seu programa Comédia MTV, ironiza parcela do eleitorado de José Serra nas Eleições 2010 que se destacou por suas opiniões preconceituosas. O quadro passou no programa do dia 10 de novembro de 2010.

Vídeo de Marcos Kalil

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Calem a boca nordestinos.

Indicado por minha irmã Celia.
Texto de: José Barbosa Júnior.

Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste!

Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país?

Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz?

Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo?

Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial  Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS!!!

E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano.

Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.

Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura…

Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner…

E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melofias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia…

Ah! Nordestinos…
Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo?

Um conselho, pobres nordestinos. Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar.

Por que não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê!

Por que não aprendem do pagode gostoso de Netinho de Paula? E ainda poderiam levar suas meninas para “um dia de princesa” (se não apanharem no caminho)! Ou então o rock melódico e poético de Supla! Vocês adorariam!!!

Mas se não quiserem, podemos pedir ao pessoal aqui do lado, do Mato Grosso do Sul, que lhes exporte o sertanejo universitário… coisa da melhor qualidade!

Ah! E sem falar numa coisa que vocês tem que aprender conosco, povo civilizado, branco e intelectualizado: explorar bem o trabalho infantil! Vocês não sabem, mas na verdade não está em jogo se é ou não trabalho infantil (isso pouco vale pra justiça), o que importa mesmo é o QUANTO esse trabalho infantil vai render. Ou vocês não perceberam ainda que suas crianças não podem trabalhar nas plantações, nas roças, etc. porque isso as afasta da escola e é um trabalho horroroso e sujo, mas na verdade, é porque ganha pouco. Bom mesmo é a menina deixar de estudar pra ser modelo e sustentar os pais, ou ser atriz mirim ou cantora e ter a sua vida totalmente modificada, mesmo que não tenha estrutura psicológica pra isso… mas o que importa mesmo é que vão encher o bolso e nunca precisarão de Bolsa-família, daí, é fácil criticar quem precisa!

Minha mensagem então é essa: – Calem a boca, nordestinos!
Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.

Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.

Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”

Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!

domingo, 21 de novembro de 2010

Os anos oitenta em imagens.

Zilka_Salaberry e Jacira Sampaio - Respectivamente Dona Benta e Tia Anastácia
No Sítio do Pica-pau-amarelo
"Alô Criançada o bozo chegou"...

Quem foi criança no meu tempo lembra e sabe o que eu estou falando, Não querendo ser nostálgico em excesso, já falamos algumas vezes aqui de infância e anos oitenta, porém, como uma imagem vale por mil palavras, segue nesta postagem uma recordação áudio e visual de algumas coisas que rolavam num mundo onde não havia msn, orkut, telefone celular e outras tantas modernidades que sequer imaginávamos que existiria e ainda assim vivíamos felizes. A você que está beirando ou dentro da casa dos 30, uma boa viagem aos anos oitenta, confiram:

Bob Dylan - Blowin In the Wind.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O gol feito que não foi feito.

Este até mamãe faria.

Foi em uma partida das semi-finais dos jogos asiáticos, as seleções do Qatar e Uzbequistão proporcionaram uma das cenas mais memoráveis da história do futebol.
O goleiro uzbeque recebeu a bola após recuo do zagueiro, mas não conseguiu dominá-la. A bola passou por baixo de suas pernas e sobrou para o atacante adversário. Com o gol completamente livre, o "craque" do Qatar, Khalfan Fahad ganhou um verdadeiro presente. Mas ele dominou, levou até a meta e...

No final, o Qatar perdeu a partida por 1 x 0 e também a vaga para as finais do campeonato.

Tiririca não fará novo teste.

Ainda a pendenga encima de Tiririca.

Para quem pensou que o caso Tiririca estava resolvido enganou-se. Não contente com o desempenho do réu   Francisco Everardo Oliveira e Silva, o Tiririca, o promotor eleitoral Maurício Antonio Ribeiro Lopes recorreu ao TRE paulista contra a decisão estabelecida no último dia 11 que absolvia Tiririca pelo seu suposto analfabetismo, o promotor alegou que o deputado federal mais votado do país teve durante a audiência um desempenho inferior a 30% do desejado.
No entanto, o Tribunal Regional Eleitoral indeferiu nesta quinta-feira (18) liminares em dois mandados de segurança impetrados pelo promotor contra Tiririca e com isto até que apareça outro descontente, Tiririca será empossado deputado federal deste país, e a vontade de seus um milhão e trezentos mil eleitores será mantida.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Na Argentina, Deputado apanha é na cara.

Fiasco argentino.

No congresso argentino os ânimos entre os deputados andam exaltados, uma cena de agressão entre a deputada de oposição Graciela Camaño contra o deputado da situação Carlos Kunkel rodaram o mundo e foi a sensação da semana no youtube e nos canais de televisão. Na ocasião os deputados argentinos discutiam a votação do orçamento federal para o ano que vem. Como diria meu amigo Chico Soró, Graciela Camaño estava braba igual um siri dentro de uma lata e rufou a mão na cara de seu compatriota Carlos Kunkel. Confiram o vídeo na reportagem da Globo News.

A Filha do seu faceta. 1981

Os anos oitenta marcaram a infância e a adolescência de muita gente, foi uma época de transições. Na tecnologia, o analógico vivia seus últimos momentos, era o prenuncio da era digital, na política, em 1985 o regime militar fez o favor de sair de cena sem deixar nem mesmo resquícios de saudades. Foi um tempo também onde as letras das músicas ainda faziam sentido, Por aqui entre outros ícones nacionais e internacionais ainda andavam gigantes como Raul Seixas, Elis Regina, Bob Marley e Gonzagão.
Nesta Nova Londrina distante, virávamos notícia, no dia 27 de abril de 1981, um vendaval varreu nossa  cidade, muita gente se lembra desse  "abril despedaçado". Nos anos oitenta na TV, o quarteto humorístico "Os trapalhões" vivia seu apogeu.  Segue nesta postagem um dos quadros mais memoráveis do programa, quadro este que foi exibido naquele mesmo 1981 de ventos uivantes.  
Com a interpretação de Renato Aragão (Didi) e Mauro Gonçalves (Zacarias), a Filha do seu Faceta. Vale a pena ver denovo.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Jornalista de Santa Catarina tem ódio de pobre.

Tal qual um cão odiento, o jornalista Luís Carlos Prates, funcionário da RBS/TV Globo no Jornal do Almoço de Santa Catarina, no dia 15/11/2010, ainda contrariado, frustrado e com a eleição de Dilma entalada na garganta, vomitou todo seu veneno contra a classe "C" e atribuiu a culpa dos acidentes nas rodovias de Santa Catarina aos pobres que passaram a dirigir depois da popularização do automóvel no governo Lula. (Devemos fazer uma pesquisa para verificar se antes da popularização do automóvel nunca havia acontecido um único acidente em todo estado de Santa Catarina, para sabermos de fato se o jornalista tem razão), Reparem que o ladrador está a beira de um ataque de nervos e externa toda sua raiva aos pobres que possuem carro. Numa atitude de extremo ódio, o pseudo profissional Carlos Prates, perde a razão e não faz questão de esconder seu preconceito classista, confiram:


Vídeo de Sergio Vilares.

E VIVA OS AMIGOS!

Esta postagem segue em homenagem aos amigos, a todos aqueles que se reúnem vez ou outra para colocar em dia os acontecimentos, para inteirar-se dos pormenores, para rir em demasia dos momentos adversos superados pelo acúmulo dos dias e das experiências.
 Prestamos aqui nosso tributo aos amigos de sempre, a todos aqueles que não se deterioraram com o tempo, aqueles cuja as idas e voltas dos dias não foram suficientes para romper os elos da solidez de uma amizade.
Um brinde aos mestres da descontração, aos exímios terapeutas combatentes do tédio, aos eliminadores de estresses, aos verdadeiros heróis, aos formidáveis palhaços que provocam nossas mais satisfatórias gargalhadas.
Nossa gratidão aos ótimos conselheiros, aos esteios fortes que sustentam nossas fraquezas e nos são refúgios nos reveses, aos grandes e bons amigos que zombam dos que se acham, que ridicularizam os chatos e desdenham os metidos a bestas.
 Congratulamo-nos aos fantásticos amigos, aqueles que de tão especiais se tornam irmãos e por quem dispensamos imensa consideração.
Ah se não fossem os amigos! O que seria de nós sem esse povo que fala sério, chora e ri, essa gente maravilhosa que joga conversa fora, esses fiéis escudeiros por quem somos tão gratos.
Pessoas dos mesmos gostos, com quem nos identificamos, por quem somos capazes de acreditar que em meios aos horrores ainda exista gente que vale a pena.
Salomão dizia, “O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, porém há amigos mais chegado que um irmão”.  O sábio rei sabia o que estava dizendo.
Nosso eterno muito obrigado ao dom da vida, e também à sorte pela oportunidade de conhecermos os inefáveis amigos. Um brinde a vida, à saúde e ao dom da amizade de cada um deles, VIVA OS AMIGOS.

Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.


terça-feira, 16 de novembro de 2010

IRONIA.

"Ironia" é um livro 
composto por frases de 
humor refinado 
cuidadosamente 
compiladas para serem
 usadas nas inúmeras 
situações do cotidiano. 

De acordo com a 
definição da própria 
palavra, a ironia nada 
mais é do que uma forma 
elegante de ser mau.
 Sendo assim, por que 
abdicarmos da elegância 
nos momentos em que a 
maldade se fizer 
necessária? Sejamos 
elegantes...



José Francisco de Lara.

domingo, 14 de novembro de 2010

Cristo andaria de fusca.

Embora muitos contestem, Cristo foi o homem mais importante que pisou em solo terrestre, até porque para seus seguidores, Cristo é imortal e filho unigênito de Deus.
Pois bem, Cristo quando esteve por aqui, veio em uma época onde os cavalos e os camelos faziam o papel que hoje fazem os carros.

Os homens mais abastados contemporâneos de Cristo, possuíam os cavalos de melhor raça, quanto mais ricos eram os homens, maior era a imponência de seus cavalos, grandes marchadores, que em carruagens sofisticadíssimas, já transportaram reis e rainhas.

Porém, o inigualável Cristo sempre primou pela humildade, sempre evidenciou seu desapego aos bens materiais. Um dia, ele disse aos seus seguidores que enquanto as aves do céu possuem seus ninhos e as raposas tem os seus covis, ele, o filho do homem, não tem onde reclinar a cabeça.

Cristo andava a pé, discípulos e multidões seguiam aquele homem único, um certo dia porém, para se confirmar as escrituras, Cristo decidiu que passaria por determinado local montado em uma das conduções de sua época, no entanto, por seu desapego ao material, Cristo não quis um cavalo de raça para montar, nem mesmo por um pangaré o bom mestre optou, Cristo utilizou-se do meio de transporte mais barato de sua época, Cristo escolheu um jumento, o mais humilde dos animais de montaria, conduziu o filho de Deus, o homem mais importante de todos os tempos...

... Hoje os carros fazem o papel que os cavalos faziam nos tempos de Cristo, os homens mais ricos e “importantes”de agora, possuem os melhores carros que existem. No entanto, se Cristo fosse nosso contemporâneo, ele jamais escolheria o carro mais caro para andar, não pensem vocês, que Cristo andaria de Capitiva, Cristo ao que tudo indica, como nunca foi apegado nem a cifras, nem a marcas e muito menos a bens materiais, Cristo andaria no mais popular veículo de transporte motorizado de todos os tempos.

Se outrora Cristo andou num jumento, em nossos dias, ele andaria num fusca, por mais uma vez o mais humilde e popular meio de locomoção de uma época, transportaria o filho de Deus, o homem mais importante de todos os tempos.

Por isso meu amigo e amiga, não se vanglorie por sua máquina possante, nos tempos do mestre Jesus, quando os cavalos de raça eram a pedra da vez, foram os proprietários de jumentos quem sentiram o orgulho de ver o maior homem do mundo, ser transportado no lombo de um jumentinho.

Nos dias de hoje com certeza, esse orgulho caberia aos donos de fuscas, pois Cristo certamente andaria em um deles.

Mateus Brandão de Souza é graduado em história pela FAFIPA, e proprietário de um fuscão 73.


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Tiririca: "Eu passei abestado".



Por Redação Yahoo! Brasil

Depois de muita polêmica, a confirmação: Tiririca sabe ler e escrever, e, por isso, pode assumir seu cargo de deputado federal eleito por São Paulo com mais de um milhão de votos.
Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), o Tiririca, teve êxito no teste de leitura e escrita feito nesta quinta-feira pela Justiça Eleitoral. Walter de Almeira Guilherme, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), contou que Tiririca fez um ditado tirado de um livro editado pelo tribunal: "Justiça Eleitoral, uma retrospectiva". A frase ditada foi extraída aleatoriamente de um livro da Justiça Eleitoral. "A promulgação do código eleitoral em fevereiro de 1932 trazendo como grandes novidades a criação da Justiça Eleitoral."
Ainda de acordo com o presidente do TRE-SP, Tiririca teve de ler uma notícia de jornal e fazer uma interpretação do que leu e escreveu. As manchetes foram "Procon manda fechar lojas que vendem produtos vencidos" e "O tributo final a Senna".
O presidente do TRE-SP ressaltou, porém, que a decisão sobre a diplomação de Tiririca caberá ao juiz Aloízio Silveira, da primeira zona eleitoral.
A polêmica começou depois de uma reportagem da revista Época, poucas semanas antes da eleição, apontando que Tiririca era analfabeto, de acordo com pessoas que trabalhavam e conviviam com ele. No ato do registro da candidatura, Tiririca, assim como todos os candidatos, entregou um documento atestando que tinha o primeiro grau incompleto, mas que sabia ler e escrever. O documento foi submetido à perícia, que apontou irregularidades na caligrafia - uma pessoa poderia ter escrito por Tiririca. O palhaço se recusou a fazer a perícia do documento, o que foi aceito pelo TRE-SP, já que ninguém é obrigado a produzir uma prova contra si mesmo.
E assim o deputado federal Tiririca será diplomado.

Filme: Anjos do sol

Você Precisa conhecer essa história.
Anjos do Sol conta a saga da menina chamada Maria, de quase doze anos, que no verão de 2002 é vendida pela família, que vive no interior do nordeste brasileiro, a um recrutador de prostitutas, imaginando que a garota estaria indo viver em um local melhor que vivia, pois não sabiam que se tratava exatamente o recrutamento. Depois de ser comprada em um leilão de meninas virgens, Maria é enviada para um prostíbulo localizado numa pequena cidade, vizinha a um garimpo, na floresta amazônica. Após meses sofrendo abusos, Maria consegue fugir e atravessa o Brasil na carona de caminhões. Ao chegar ao seu novo destino, o Rio de Janeiro, a prostituição se coloca novamente no seu caminho e suas atitudes, frente aos novos desafios, se tornam inesperadas e surpreendentes.

Direção: Rudi Lagemann
Roteiro: Rudi Lagemann
Elenco original: Fernanda Carvalho
Antonio Calloni
Chico Diaz
Vera Holtz
Otávio Augusto
Bianca Comparato
Darlene Glória
Mary Sheyla
Gênero: drama
Idioma original: português
Duração: 92 min.
Ano: Brasil – 2006
Classificação: 14 anos

O futuro presidente brasileiro - com apoio de Lula

FOTO: Ricardo Stuckert/Presidência da República

11.11.2010

Acostumada com o assédio da imprensa, Dilma Rousseff foi surpreendida hoje cedo por um fã mirim no saguão do hotel onde está hospedada, em Seul, na Coreia do Sul. Após conversas com jornalistas, a presidenta eleita foi parada pelo brasileiro Fábio Schneider, de 9 anos. Dilma o abraçou e foi fotografada pela mãe do menino, que contou à ex-ministra da Casa Civil o que quer ser quando crescer.


"Falei para ela que quero ser presidente. Quero fazer alguma coisa para mudar', disse a jornalistas. E Dilma, o que disse? "Ela achou bem legal", relatou o menino, que é de Campinas, São Paulo, e mora na Coreia do Sul há quatro anos









Fonte: Portal iG.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Filme: A nós a liberdade.



“Famosa comédia, que foi assumidamente o filme que inspirou Chaplin para realizar seu "Tempos Modernos". É muito curioso o uso de cançonetas, como se fosse uma opereta popular, unido a uma mensagem socialista (a frase famosa da fita diz "O trabalho é a liberdade").
Denuncia o trabalho em série nas fábricas e tem um final de grande impacto, com um discurso que ninguém mais escuta e o público correndo atrás do dinheiro que voa. A sátira foi indicada ao Oscar de Direção de Arte (em 1932), foi votada como Melhor Filme do ano pela National Board e levou prêmio do público no Festival de Veneza.”
 (Rubens Ewald Filho)

Direção:René Clair
Ano:1931
País:França
Gênero:Comédia, Musical
 Duração:104 min. / p&b
Título Original:À Nous la Liberté
Título em inglês:Liberty for Us

Elenco:
Raymond Cordy, Henri Marchand, Paul Ollivier, André Michaud, Rolla France, Germaine Aussey, Léon Lorin, William Burke, Vincent Hyspa, Jacques Shelly, Marguerite De Morlaye, Maximilienne, Ritou Lancyle, Léon Courtois, Albert Broquin

Sinopse:
Sátira sobre dois ex-presidiários, um dos quais consegue progredir de vendedor a dono de uma fábrica, onde percebe que os operários são reduzidos a autômatos.
Por que assistir?
É considerado por muitos a inspiração para “Tempos Modernos”, de Charles Chaplin.

Vale a pena conferir.

Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.


Clocks Coldplay ¨Buena Vista Social Club"


Dedicado ao Buena Vista Social Club.

Buena Vista Social Club era um clube de dança e atividades musicais de Havana em Cuba, local onde os músicos se encontravam e tocavam na década de 40, entre eles Manuel "Puntillita" Licea, Compay Segundo, Rubén González, Ibrahim Ferrer, Pío Leyva, Anga Díaz. Ao longo dos anos novos membros entraram no grupo.

Nos anos 90, aproximadamente 40 anos após o fechamento do clube, inspirou uma gravação do músico cubano Juan de Marcos González e o guitarrista americano Ry Cooder com os músicos tradicionais.

O disco, chamado Buena Vista Social Club tornou-se um sucesso internacional.

Foi quando então o diretor alemão Wim Wenders filmou a apresentação do grupo na Holanda, e uma segunda apresentação no famoso Carnegie Hall em Nova York, transformando num documentário, acompanhado de entrevistas feitas em Havana com os músicos.

O filme, chamado Buena Vista Social Club, foi aclamado pela crítica, sendo indicado ao Oscar na categoria Melhor Documentário e ganhando o prêmio de Melhor documentário no European Film Awards.

Em 2006 foi lançado Rhythms del Mundo, um ábum com as estrelas do Buena Vista e da música cubana Ibrahim Ferrer (sua última gravação antes de morrer em 2005) e Omara Portuondo com artistas como U2, Coldplay, Sting, Jack Johnson, Maroon 5 , Arctic Monkeys, Franz Ferdinand, Kaiser Chiefs entre outros.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Carta de Drumond à Cora Coralina.


O Livro poemas dos becos de Goiás e estórias mais de Cora Coralina recebeu o elogio de Carlos Drumond de Andrade em: Carta a Cora Coralina.


Rio de Janeiro, 14 de julho de 1979.


“Cora Coralina. Não tendo o seu endereço, lanço estas palavras ao vento, na esperança de que ele as deposite em suas mãos. Admiro e amo você como alguém que vive em estado de graça com a poesia. Seu livro é um encanto, seu verso é água corrente, seu lirismo tem a força e a delicadeza das coisas naturais. Ah, você me dá saudades de Minas, tão irmã do teu Goiás! Dá alegria na gente saber que existe bem no coração do Brasil um ser chamado Cora Coralina. Todo o carinho, toda a admiração do seu Carlos Drummond de Andrade”.

Nota: Cora Coralina, uma das principais escritoras brasileiras, publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade.

Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

Conheço o meu lugar.


O que é que pode fazer o homem comum
neste presente instante senão sangrar?
Tentar inaugurar
a vida comovida,
inteiramente livre e triunfante?
O que é que eu posso fazer
com a minha juventude
quando a máxima saúde hoje
é pretender usar a voz?
O que é que eu posso fazer
um simples cantador das coisas do porão?
Deus fez os cães da rua pra morder vocês
que sob a luz da lua,
os tratam como gente - é claro! - a pontapés.)
Era uma vez um homem e seu tempo...
(Botas de sangue nas roupas de Lorca).
Olho de frente a cara do presente e sei
que vou ouvir a mesma história porca.
Não há motivo para festa: ora esta!
Eu não sei rir à toa!
Fique você com a mente positiva que eu
quero a voz ativa (ela é que é uma boa!)
pois sou uma pessoa.
Esta é minha canoa: eu nela embarco.
Eu sou pessoa!
(A palavra "pessoa" hoje não soa bem -
pouco me importa!)
Não! Você não me impediu de ser feliz!
Nunca jamais bateu a porta em meu nariz!
Ninguém é gente!
Nordeste é uma ficção! Nordeste nunca houve!
Não! Eu não sou do lugar dos esquecidos!
Não sou da nação dos condenados!
Não sou do sertão dos ofendidos!
Você sabe bem:
Conheço o meu lugar! 

OBRIGADO LULA.

Há uma corriola de pseudos entendidos em política, que critica com ódio tanto a pessoa como a forma de Lula governar, são eles a fina flor do preconceito mais retrógrado, que derramam seu  desprezo sobre todos aqueles que não pertencem ao seu grupo medíocre e minoritário.

O autoditada Lula, o retirante nordestino, o operário, o filho iluminado de dona Lindú, mostrou ao mundo como é possível atender ao clamor de um povo marginalizado, um povo nunca antes assistido por aqueles que tiveram nas mãos o poder desta nação.
Lula, o presidente que tem cara, sangue e alma de povo. Lula é o sonho realizado de milhões de brasileiros.
A senhora na foto é Corina Edelvina Bento, dona Corina morava numa favela do Rio de Janeiro em condições deploráveis, e agora, é uma das beneficiárias do programa Minha Casa, Minha Vida, Ela chora de emoção e sacode as chaves de sua casa nova, ao mesmo tempo em que é beijada pelo presidente Lula.
Esta postagem é em nome das pessoas de bom senso, uma forma de gratidão ao melhor e mais humano presidente da história deste país.

Foto: Felipe Dana



Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...