domingo, 29 de abril de 2012

Elba Ramalho indignada defende Paraíba das chacotas da novela Avenida Brasil


A cantora Elba Ramalho indignou-se com as chacotas veiculadas atualmente pela TV Globo, tendo como alvo a Paraíba, e oficializou essa postura através do Twitter.
“Estou na Paraiba, a terra onde nasci, de gente linda e bem educada! Gente que tem valores e sabe acolher os de fora que aqui chegam em busca de lazer e diversão”, anunciou para em outro pos’t situar o seu lamento: “Não compreendo as chacotas feitas nas novelas com nosso povo, minimizando nossa inteligência, nossa educação e nossas tradições!”.

Mesmo sem citar o nome da emissora, nem a novela (Avenida Brasil) onde as piadas viraram rotina, Elba concluiu com outra tuitada: “Falta de criatividade, não? Descaso, piadas de mau gosto!!! Tenho Dito!”.

O solidário protesto da atriz e cantora conterrânea de certa forma a faz se redimir de um instante deprimente da sua história, quando criticou o projeto de transposição de águas do rio São Francisco, ocasião em que recebeu da Câmara Municipal de Campina Grande, por unanimidade, o título de persona non grata da cidade onde viveu boa parte da sua vida e onde estudou e aprendeu teatro.


CÓDIGO FLORESTAL - SAIBA COMO VOTARAM OS DEPUTADOS DO PARANÁ


Veja bem, Quem votou sim, votou a favor das florestas e pela punição dos desmatadores. Quem votou não, votou a favor do desmatamento e não punirá os desmatadores.


COTAS


CAROL VAZ É A BELA PREFERIDA DOS NOSSOS LEITORES

A primeira enquete feita por este blog revela que dentre as 37 moças que posaram para nossa página, Carol Vaz é aquela pela qual a maioria dos votantes elegeu como a sua preferida
Carol Vaz - 133 Votos é a Bela preferida  da maioria dos nossos leitores.
A enquete trazia o nome das 37 belas da semana e perguntava qual dentre elas era a sua preferida, Carol Vaz passou a liderar a enquete a partir do terceiro dia de votação e assim permaneceu até o seu término.

496 internautas votaram, Carol obteve 133 destes e 121 foram para a segunda colocada, Mayara Gregório, Brenda Gregório conquistou o terceiro lugar e obteve 44 votos.

A seguir, o resultado final da enquete com todas as Belas e seus respectivos votos. Em breve faremos outro questionamento para sabermos a preferência do nossos leitores. AGUARDEM:

VOTOS
BRENDA GREGÓRIO
      44 (8%)

ISABELA PICOLLI
        7 (1%)

DUDA LOPES
      32 (6%)

TALITA SANTOS

        3 (0%)
MILENA GUILHEN

        1 (0%)
LARISSA RAYRA
        2 (0%)
MAYARA GREGÓRIO
   121 (24%)

DAIANA PISCITELLI

         5 (1%)

BETHÂNIA PEREIRA

         3 (0%)
FERNANDA BOITO

         2 (0%)
BRUNA BOITO
         0 (0%)
MARIANA OLIVEIRA
       34 (6%)

CAROL VAZ
    133 (26%)

THAYS CAROLINY
      31 (6%)

GISELY TIEMI
  13 (2%)

BIA MAZZOTTI
  13 (2%)

ARIELLI SCARPINI

    2 (0%)
LETICIA PAIVA

    2 (0%)
THAIS BISSONI

    0 (0%)
ANGELINA BOITO

    1 (0%)
GABRIELA BOITO
    2 (0%)

NAYARA KIMURA
  13 (2%)

TATIANE MONGELESKI

    1 (0%)
IASMIM PAIVA

    0 (0%)
PAULA MARUCHI FÁVERO
    4 (0%)
ISABELA MELQUÍADES
    6 (1%)

FRANCIELLI DE SANTI

    0 (0%)
RAFAELA HERRERA

    0 (0%)
LEYLLA NASCIMENTO

    1 (0%)
PAOLA SLAVIERO

    4 (0%)
JULIANA LUCENA

    1 (0%)
THAYANA VAZ

    1 (0%)
HEGILLY MILLER

    4 (0%)
HAMANDA MENDES

    4 (0%)
EMILLY IZÁ

    0 (0%)
KRISTAL ZILIO

    4 (0%)
ALYNE SLAVIERO
    2 (0%)


Votos até o momento: 496 
Enquete encerrada 

sábado, 28 de abril de 2012

Bóris Casoy volta a mostrar seu preconceito latente


Por DiAfonso



Palavras do Bóris Casoy [transcrição de áudio]:


O fato de as cotas terem sua constitucionalidade avalizada pelo STF não significa que o programa seja correto. Ao contrário, é um erro grave que, a pretexto de compensar crueldades históricas praticadas pelo Brasil escravocatra [sic], acaba incentivando o racismo latente na sociedade brasileira. A questão do acesso à universidade nada tem a ver com cor, raça ou etnia. É uma questão social e econômica, produto do lixo que é o ensino público aqui no Brasil. O que deve determinar ou não a entrada na universidade é, simplesmente, o mérito! 

[ver vídeo abaixo]

O âncora Bóris Casoy não tem idoneidade para falar de negro, de racismo, de cotas raciais ou de qualquer tema que esteja relacionado ao respeito pelo outro. Basta lembrar o seu lastimável comportamento no episódio envolvendo honrados trabalhadores. Para quem não se lembra, Bóris teceu comentários humilhantes sobre as sinceras felicitações de Ano Novo, dadas por dois garis [aqui].

Cabe, ainda, ressaltar as contradições na fala do apresentador. Se a questão do acesso à universidade está ligada a fenômenos socioeconômicos e se a educação pública é um lixo [nisso deve concordar com ele, não nesses termos], então por qual razão evocar o MÉRITO para o ingresso no ensino superior? Acaso, as "crueldades históricas praticadas pelo Brasil escravocatra [sic]" a que se refere o jornalista não deixaram um rastro de intolerância e preconceito na alma dos que têm a cor branca - a cor das elites?

A partir das contradições de sua palavras, Bóris apenas ratifica um preconceito que ele mesmo traz dentro de si, como ficou claro no caso dos garis.

Quem sabe um dia - quando o Brasil superar os problemas sociais e de exclusão que ainda precisam ser erradicados - não precisemos mais de cotas para negros, pobres ou quem quer que seja?
Quem sabe, também, não precisemos mais de nefastos seres ancorando um telejornal como Bóris Casoy?
Vamos à luta [Como dizia Gonzaguinha]!

Via TERRA BRASILIS

DANDHARA JORDANA – A BELA DA SEMANA


Em Dandhara, prestamos nossa homenagem ao fascínio contido em mulheres negras e mulatas, nestas beldades que pela cor, acrescentam notoriedade ao seleto grupo composto pela diversidade de formas e cores de mulheres que completam a beleza e o orgulho nacional.

Entretanto, falar de Dandhara, é dizer não somente da beleza das mulheres afro-descendentes, é também destacarmos o carisma e a simpatia que as tornam destaques e contagiam a todos que com elas possuem estreita amizade, falar de Dandhara é descrever uma mulher na saúde de sua juventude é falar de um sorriso arrebatador e da jovialidade de um alguém que pela inteligência nos deixa ainda mais seduzidos.

Sabemos que não há beleza que se compare a uma mulher, em Dandhara louvamos o encanto contido na ginga, na cor e no sorriso, nestes adornos naturais destas mulheres que tem em si a beleza e o privilégio de serem negras.

Para todos que nesta página buscam nutrir seus olhos no colírio natural destas criaturas femininas, apresentamos a formosura de Dandhara Jordana, à ela rendemos a homenagem dispensada àquelas que por seus méritos possuem o direito de serem chamadas belas.

Um brinde em saúde da supremacia feminina, que viva Dandhara Jordana, A BELA DA SEMANA.
DANDHARA JORDANA DE ASSIS OLIVEIRA - 16 anos – Marilena PR – Filha de Gilberto Basílio P. de Oliveira e Claudete Assis Oliveira – Dandhara é estudante do 3º do E M no Colégio Estadual Princesa Isabel.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

A BUNDA


A bunda, que engraçada.
Está sempre sorrindo, nunca é trágica.

Não lhe importa o que vai
pela frente do corpo. A bunda basta-se.
Existe algo mais? Talvez os seios.
Ora – murmura a bunda – esses garotos
ainda lhes falta muito que estudar.

A bunda são duas luas gêmeas
em rotundo meneio. Anda por si
na cadência mimosa, no milagre
de ser duas em uma, plenamente.

A bunda se diverte
por conta própria. E ama.
Na cama agita-se. Montanhas
avolumam-se, descem. Ondas batendo
numa praia infinita.

Lá vai sorrindo a bunda. Vai feliz
na carícia de ser e balançar
Esferas harmoniosas sobre o caos.

A bunda é a bunda
redunda.

(Carlos Drumond de Andrade)

Sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela.


.."ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternura e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela.
Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteria".

Carlos Drummond de Andrade


Foto de Dayane Souza

O Uruguai, Por Eduardo Galeano


Até um certo momento o Uruguai só era mencionado no Brasil por duas coisas: ricos iam se divorciar e/ou casar e ter lua-de-mel em Punta del Este e pela derrota no fatídico dia 16 de julho de 1950 para a seleção Uruguaia no Maracanã, de virada, na Copa do Mundo feita para o Brasil ser campeão. Alguns haviam passado por Montevidéu e diziam que ficava a meio caminho entre Porto Alegre e Buenos Aires.
“Nós uruguaios temos certa tendência a crer que nosso país existe, embora o mundo não o perceba”, diz Galeano. “Os grandes meios de comunicação, aqueles que têm influência universal, jamais mencionam esta nação pequenina e perdida ao sul do mapa.”
Um país de poucos milhões de habitantes que, como diz ele, tem população similar a alguns bairros das grandes cidades do mundo, mas que provocaria algumas surpresas para quem se arriscasse a chegar por ali.
Um país que aboliu os castigos corporais nas escolas 120 anos antes da Grã-Bretanha. O Uruguai adotou a jornada de trabalho de oito horas um ano antes dos Estados Unidos e quatro anos antes da França. Teve lei do divórcio setenta anos antes da Espanha e voto feminino quatorze anos antes da França.
O Uruguai teve proporcionalmente o maior exílio durante a ditadura militar, em comparação com sua população. Assim, tem cinco vezes mais terra do que a Holanda e cinco vezes menos habitantes. Tem mais terra cultivável que o Japão e uma população quarenta vezes menor.
O país ficou relegado a uma população escassa e envelhecida. Tristemente Galeano diz que “poucas crianças nascem, nas ruas vêem-se mais cadeiras de rodas do que carrinhos de nenês”.
Ainda assim, Galeano consigna bons motivos para gostar do seu país: “Durante a ditadura militar, não houve no Uruguai nem um só intelectual importante, nem um só cientista relevante, nem um só artista representativo, único que fosse, disposto a aplaudir os mandões. E nos tempos que correm, já na democracia, o Uruguai foi o único país do mundo que derrotou as privatizações em consulta popular: no plebiscito de fins de 92, 72% dos uruguaios decidiram que os serviços essenciais continuaram sendo públicos. A notícia não mereceu sequer uma linha na imprensa mundial, embora se constituísse numa insólita prova de senso comum.” Talvez por esses “maus exemplos” tentam desconhecer o Uruguai, apesar da insistência dos uruguaios de afirmar que seu país existe.
Por tudo isso, Galeno se orgulha do seu “paisito”, “este paradoxal país onde nasci e tornaria a nascer”.



No Blog do Emir Via Com Texto Livre

* Eduardo Hughes Galeano (Montevidéu, 3 de setembro de 1940) é um jornalista e escritor uruguaio. É autor de mais de quarenta livros, que já foram traduzidos em diversos idiomas. Suas obras transcendem gêneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise política e História. (Wikipédia)

Enquanto isso no Paraná...

Pasmem, governador tucano Beto Richa não quer PMs com estudo porque segundo ele, eles "se insubordinariam"



O governador Beto Richa (PSDB) disse em entrevista à rádio CBN, nesta quinta-feira, que acha positivo que os policiais militares do estado não tenham diploma de curso superior.

A polêmica entre o governo e as associações que representam os policiais militares, que queriam que o governo passasse a exigir diploma dos que entram na corporação.

Segundo Richa, é bom que os policiais não tenham diploma, porque gente formada normalmente é muito insubordinada.

"Outra questão é de insubordinação também, uma pessoa com curso superior muitas vezes não aceita cumprir ordens de um oficial ou um superior, uma patente maior", afirmou o governador.

A declaração do governador é um desestímulo à educação e à cultura dentro da corporação. Nitidamente, o que Richa defende, em sua declaração, é que a PM dê preferência a pessoas que não estudem.

Além de tudo, mostra uma miopia em relação à realidade do mundo. Como se pessoas sem estudo superior não pudessem ser contestadoras ou insubordinadas (pela versão de Richa, as greves comandadas por Lula no ABC nunca existiram).

A função do Estado é estimular o estudo, e não o contrário. Mais do que isso: o governador não deveria desejar uma corporação de gente que simplesmente atende ordens cegamente, como ele parece querer. E, sim, fomentar um ambiente em que as pessoas sejam capazes de autonomia.

Richa poderia, sem nenhum problema, defender que não é preciso diploma para ser policial. Mas com outros argumentos.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Pout-pourri - Lenine e Selma do Côco

ADEUS DICRÓ

MORRE O ÚLTIMO DOS MALANDROS

Por Kaneda -  Hoje à(s) 5:20

Morreu na noite desta quarta-feira (25), aos 66 anos, o sambista Dicró, em um hospital de Magé, na Baixada Fluminense. O compositor sofria de diabetes e de insuficiência renal.

Depois de uma sessão de hemodiálise, ele passou mal em sua residência e foi levado para o hospital, onde sofreu um infarto e não resistiu.

Dicró era conhecido por compôr sambas bem-humorados, recheados de sátira e brincadeiras com as sogras. Na década de 1990, formou parceria com os sambistas Moreira da Silva e Bezerra da Silva, encontro que resultou no álbum 'Os 3 malandros in concert'.

O enterro de Dicró está marcado para a tarde desta quinta-feira (26), no cemitério Jardim da Saudade.


As cotas vão favorecer aos negros e discriminar ainda mais aos brancos pobres?


Esta é, quiçá, uma das mais perversas falácias contra as cotas. O projeto atualmente tramitando na Câmara dos Deputados, PL 73/99, já aprovado na Comissão de Constituição e Justiça, favorece os alunos e alunas oriundos das escolas públicas, colocando como requisito uma representatividade racial e étnica equivalente à existente na região onde está situada cada universidade. Trata-se de uma criativa proposta onde se combinam os critérios sociais, raciais e étnicos. É curioso que setores que nunca defenderam o interesse dos setores populares ataquem as cotas porque agora, segundo dizem, os pobres perderão oportunidades que nunca lhes foram oferecidas. O projeto de Lei 73/99 é um avanço fundamental na construção da justiça social no país e na luta contra a discriminação social, racial e étnica.


Via Movimento Direito Para Quem

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Apagão de internet e celular afeta usuários do Paraná e de outros estados


Cabos de fibra óptica se romperam em Quatro Barras e Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, afetando o serviço no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul; sistema começou a ser restabelecido no meio da tarde
O rompimento de cabos de fibra óptica em Quatro Barras e Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, afetou a conexão de internet em cidades do Paraná, inclusive a capital, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, nesta quarta-feira (25). Usuários de diversas operadoras em Curitiba, Londrina e Maringá, entre outras, tiveram problemas na conexão banda larga e 3G desde o fim da manhã, além de dificuldades no uso de telefones celulares.

A informação é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que confirmou, por volta das 17 horas, que o rompimento afetou de forma diferenciada várias operadoras de telefonia fixa e móvel, além de causar impacto nas chamadas telefônicas e no acesso à internet. Ainda não há a confirmação pelos técnicos da agência sobre a causa da falha e do número de usuários afetados.

Os indignados não se calam nunca


"Os caras falam de violência, a
violência para mim é um pacote:
o desemprego é uma violência, a falta
de perspectiva é uma violência, a falta
de áreas de lazer é uma violência e a
fome é a maior de todas as violências.
E tem muita gente passando fome."

Dignidade já


Já se fala em extermínio da juventude negra no Brasil. Em todas as cidades, em todas as favelas, morrem jovens pobres, majoritariamente negros, vítimas de uma sociedade que não lhes oferece nada e lhes cobra muitíssimo. Não há trabalho, não há saúde e não há educação. Em muitos casos, falta até dignidade. Mas precisam ser bons funcionários, pacíficos, fiéis eleitores e, principalmente, seres humanos domesticados. Quando soltam as amarras e se revoltam por condições melhores ou pela garantia dos seus direitos, vem a polícia (extremamente militarizada) e mantém a 'normalidade'. Normalidade doentia essa...

Curto e grosso


GAMBIARRA OU IMPROVISO?

Um dos ditados frequentes de papai no auge de sua lucidez era "quem não tem dinheiro, faz do cu um candeeiro" ou seja, quando se está desprovido de recursos financeiros é comum a gente tocar o barco da vida na base do improviso, e nesta arte, brasileiro é mestre. A seguir, alguns exemplos dos infinitos tipos de gambiarra pelo Brasil e pelo mundo, afinal, como diz papai, "Quem não tem dinheiro, faz do cu um candeeiro. 

Estas pessoas fizeram, observem as fotos:















terça-feira, 24 de abril de 2012

Internet supera jornal e se torna 2ª mídia no Brasil em 2012

No adNEWS



A internet assumirá a segunda posição entre as mídias ainda em 2012, deixando o meio jornal para trás em volume de investimentos. De acordo com estimativa apresentada pelo IAB Brasil nesta terça-feira, 24, o digital crescerá 39%, fechando o ano com 13,7% de participação e faturamento na casa dos R$ 4,7 bilhões. Em 2011, a web representava 11% do polo publicitário.

O crescimento do mercado de buscas será de 50% e o de display (banner) terá incremento de 25%, informou o presidente da instituição, Fabio Coelho - que também preside o Google Brasil.

De acordo com com o IAB, a internet cresce, em média, quatro vezes mais do que o mercado de publicidade, em geral - e esses números não contabilizam redes sociais. Em breve será divulgada uma estimativa de faturamento para este ano, em que sites como Facebook e Twitter estarão envolvidos.

As 100 maiores empresas do país investem 13,4% de suas verbas publicitárias no meio digital, segundo Coelho, que considerou a web um mercado "pujante".

Para chegar aos resultados apresentados hoje, o IAB considerou os 80 milhões de internautas no país maiores de 16 anos, dos quais 49% pertencem às classes C, D e E e 51%, às A e B.

Por Marcelo Gripa

AOS ALUCINADOS

A SUTIL DIFERENÇA

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Como um Tsunami salvou uma cidade grega há 2500 anos


Quando ondas tomaram tamanhos quase titânicos e salvaram uma cidade grega das garras de um exército persa há aproximadamente 2.500 anos, o renomado historiador grego Heródoto registrou o evento como um ato de misericórdia do deus dos mares, Poseidon.

Mas novas evidências científicas sugerem que o ocorrido foi, na verdade, um tsunami, de acordo com o geólogo Klaus Reicherter, da Universidade de Aachen, na Alemanha, que estudou o evento. “Segundo a descrição de Heródoto, houve uma maré baixa bastante duradoura, o que possibilitou aos persas irem em direção à atual península de Kassandra, no norte da Grécia, para saquear uma cidade chamada Nea Potidea”, conta o geólogo.

Mas antes de conseguirem alcançá-la, a aparente boa sorte se revelou um pesadelo: ondas gigantes atingiram a cidade e impediram o despojo persa. Enquanto o historiador grego vê o ocorrido como uma consequência da mão vingativa de Poseidon, Reicherter explica que o relato descreve claramente as fases de um tsunami.

Além disso, as pistas do tsunami não se encontram apenas nos textos antigos, mas também no chão da cidade, onde pesquisadores encontraram conchas e areia, que datam exatamente dos anos do ocorrido descrito e que se encontram bem longe da praia.

Reicherter afirma que as condições geológicas da península grega são ideais para a produção de tsunamis. “Terremotos e deslizamentos, aliados à forma colossal da base do assoalho marinho, são capazes de produzir tsunamis de 2 a 5 metros”, informa o pesquisador de Aachen. Segundo ele, tais pesquisas, embora inspiradas no passado, podem ajudar a descobrir quais áreas são vulneráveis aos tsunamis.

Fonte: Hyperscience via Café História - http://cafehistoria.ning.com/

CURIOSIDADES DO NOSSO CORPO


1. Se você estiver com a garganta doendo, aperte seu ouvido:
Pressionando os nervos do ouvido, ele vai gerar um reflexo imediato nos espasmos da garganta e alivia o desconforto

2. Para ouvir melhor utilize apenas um lado da orelha:
Se você está em um clube e não ouvir bem o que as pessoas estão dizendo, vire a cabeça e use apenas a orelha direita, uma vez que ela distingue melhor as conversações, enquanto a esquerda identifica músicas de som.

3. Para resistir à tentação de ir ao banheiro pense em sexo:
Quando não resistir à vontade de urinar e não tiver um banheiro por perto, pense em sexo. Isso vai entreter o seu cérebro e reduzirá o estresse.

4. Provoque tosses para reduzir a dor:
Um grupo de cientistas alemães descobriram que quando você espirra, aumenta a pressão no peito e coluna vertebral, inibindo, assim, dores na coluna.

5. Se você estiver com o nariz entupido:
Pressione o céu da boca e o nariz. Toque o céu da boca firmemente com um dedo, segurando o nariz abaixo das sobrancelhas. Isso permitirá que as secreções possam se mover e você volta a respirar.

6. Quando você tiver com azia, durma sobre seu lado esquerdo:
Isto cria um ângulo entre o estômago e do esófago, de modo que o ácido não pode passar para a garganta.

7. Quando um dente dói esfregue um cubo de gelo em sua mão:
Você deve passar um pedaço de gelo na área, em um "v" que tem entre o polegar e o dedo indicador contra a palma da mão. Isto reduz em 50% a dor, pois este setor está ligado aos receptores da dor da face.

8. Quando você se queimar, pressione o ferimento com um dedo:
Após a limpeza da área afetada, pressione com a mão sobre a queimadura, assim ela retornará a temperatura inicial e evitará bolhas. (Para pequenas queimaduras, apenas)

9. Quando você estiver bêbado:
Repouse a mão sobre uma mesa ou superfície estável. Se você fizer isso, seu cérebro vai recuperar o sentido de equilíbrio e evitará que tudo gire ao seu redor.

10. Ao correr, respire quando o pé esquerdo pisar o chão.
Isto irá prevenir sentimento de comichão no peito, porque se você respirar quando você coloca o pé direito, fará pressão no fígado.

11. Se sangrar o nariz, empurre com o dedo:
Se você deitar com o sangue escorrendo poderá se sufocar, por isso é melhor pressionar o dedo sobre o lado do nariz quando você tiver sangramento.

12. Para controlar o batimento cardíaco quando você está nervoso
Coloque o polegar na boca e assopre, isso irá ajudar seu coração parar de bater tão rápido a partir da respiração.

13. Para aliviar uma dor de cabeça quando você bebe água gelada:
Quando você beber algo congelado, resfria o paladar e o cérebro interpreta. Então você deve colocar a língua no céu da boca para retornar à temperatura normal.

14. Previna a falta de visão quando você está na frente do PC:
Quando você coloca seus olhos em um objeto próximo, como um computador, a vista fica cansada e não consegue enxergar direito. Por isso, feche os olhos, contraia o corpo e prenda a respiração por um momento. Então, relaxe. Remédio santo.

15. Desperte suas mãos e pés adormecidos movendo sua cabeça:
Quando dorme, um braço ou uma mão, gire a cabeça de um lado para o outro e sentirás a dormência passar dentro de 1 minuto. Os membros superiores adormecem pela pressão sobre o pescoço. Igualmente para pernas e pés, leva alguns segundos.

16. Uma maneira fácil de prender a respiração debaixo d'água:
Antes de mergulhar, fazer respirações muitos rápidos e fortes para fazer o sangue ácido desaparecer, pois isso é que causa a falta de ar.

17. Memorize textos à noite:
Tudo o que você ler antes de dormir, o mais fácil de lembrar ...

Quando alguém COMPARTILHA algum valor, Você se beneficia.
Então você tem a obrigação moral de compartilhar com os outros.

No face da Alete Vale

Bob Marley era 'o pai mais legal', mas surpreendentemente 'rígido'


Cedella Marley relembra momentos ao lado do pai, ícone do reggae
 Nascida em 1967, Cedella Marley é a filha biológica mais velha do cantor Bob Marley. No momento em que um documentário sobre a vida do artista estreia pelo mundo, ela relembra, em entrevista à BBC, que seu pai era 'o mais legal possível', mas surpreendentemente rígido.

Leia seu depoimento:

Ele era um pai legal, o mais legal possível. Nunca levantava a voz para nós. Acho que, porque passava tanto tempo na estrada, quando não estava viajando era algo como 'temos quatro dias, o que vamos fazer? Vamos nos divertir'.

Quando estava em casa, era ele quem nos buscava na escola e nos levava à praia. Íamos correr, nadar. Ele era competitivo, fanático por exercícios.

O estilo dos meus pais era: 'Se estamos disputando uma corrida, não pense que vamos deixar você ganhar!'. Era uma época divertida – assisti-lo enquanto ele nos via perdendo!

Não diria que ele era um pai meloso, mas era divertido. E engraçado - sempre tentava te fazer rir.

Escrevia canções ao nosso redor, e isso também era divertido de ver. Era algo meio casual – ficávamos assistindo TV e ele ali, com seu violão.

(A canção) Nice Time era a minha canção de ninar, e ele a escreveu pra mim quando eu nasci.

A música foi algo importante em nossa infância. Não era algo que éramos obrigados a fazer. A atitude do meu pai era: 'Se você quiser fazer música, pode, mas daí terá que fazer muito bem'.

Ele era um perfeccionista – tudo tinha que ser perfeito.

E era muito rígido com a nossa lição de casa. Frequentávamos escolas católicas. Era engraçado porque as pessoas diziam: 'Seu pai é tão rastafari'. Eu respondia: 'Pois é, e ele nos manda a escolas católicas!'.

Sendo criado na Jamaica, culturalmente você desenvolve preconceitos religiosos. E, sendo filha de pais rastafaris, as pessoas queriam me fazer sentir 'menos do que elas' por causa da religião. Acho que é por isso que, para o papai e mesmo para nós, os filhos, era importante se superar – sempre estávamos tentando romper barreiras, mudar as coisas e fazer algo diferente com as nossas vidas.

O papai queria que eu fosse uma médica ou advogada. Agora, olhando para trás e, pensando em todos os problemas legais que tivemos, provavelmente eu devesse ter cursado direito!

Meu pai tinha namoradas. Acho que fazia parte da vida – eu nunca me casaria com um músico. Mas sua relação com a minha mãe parecia amorosa. Sempre que eu os via, pareciam amorosos.

Minha mãe criou a maioria dos filhos do meu pai em algum momento. Todos vivemos na mesma casa em alguns momentos. E mesmo agora, na idade adulta, estamos a quarteirões de distância uns dos outros. Minha vida não seria a mesma sem eles.

Não me lembro de nenhuma vez que tenhamos chamado amigos para dormir em casa, porque seus pais não deixariam. Acho que (essas pessoas) tinham uma ideia errada da nossa casa.

Talvez pensassem que você chegaria na nossa casa e haveria maconha pelos cantos, mas era um lugar muito rígido – nossos pais não fumavam dentro de casa.

Meu pai era um pai sexy, musculoso e com dreadlocks. Eu tinha orgulho dele.

Sempre que ele nos buscava na escola, eu andava com o peito estufado e meu nariz para cima. Era como se dissesse: 'Este é o meu pai'. Ele era o pai mais sexy da escola.

Sua influência duradoura em mim? Ele disse algo com o qual eu não concordo 100%: 'Se a minha vida é só para mim, então não quero (viver)'.

Mas eu entendo o que ele quis dizer. Se você não é capaz de fazer algo que provoque mudança, então para que está vivendo? Mesmo que o nosso tempo juntos tenha sido curto, ele era uma ótima pessoa para ter como pai.

Cedella Marley foi entrevistada pelo programa Outlook, do Serviço Mundial da BBC.

Via  Portal R7

domingo, 22 de abril de 2012

TERRA - PLANETA ÁGUA


Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...
Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água

sábado, 21 de abril de 2012

Sede de antiga colônia nazista será demolida em São Paulo


As construções remanescentes de uma colônia nazista que funcionou na década de 1930 na Fazenda Cruzeiro do Sul, em Paranapanema, a 260 km de São Paulo, serão destruídas. O novo proprietário decidiu limpar as terras para facilitar o cultivo de cana-de-açúcar. Está prevista a derrubada dos prédios das oficinas, da cocheira e da pequena igreja. A antiga piscina de alvenaria será soterrada.

Os tijolos usados nas construções trazem impressa a suástica, símbolo do nazismo de Adolf Hitler. O antigo proprietário da fazenda, José Ricardo Rosa Maciel, e sua mulher, Senhorinha, contaram que o comprador consultou os órgãos do patrimônio histórico antes de fechar o negócio para se certificar de que as construções não são tombadas.

Como a venda foi feita com cláusula de confidencialidade, eles não revelaram o nome do novo dono. "Ele vai arrendar as terras para o plantio de cana mecanizado, por isso precisa do terreno desimpedido", disse a mulher. A prefeitura de Paranapanema informou que as terras são particulares e o município não tem condições de desapropriá-las, apesar do interesse cultural.

A fazenda foi comprada no início do século passado por Luis Rocha de Miranda, simpatizante do movimento fascista Ação Integralista Brasileira (AIB). A propriedade tinha geradores de energia elétrica, pista de pouso cimentada, uma estação de trens particular e silos aéreos importados dos Estados Unidos.

Segundo o pesquisador Sidney Aguilar Filho, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a fazenda foi palco de um esquema escravista nos anos 1930. Os irmãos Rocha Miranda trouxeram 50 meninos do orfanato Romão Duarte, do Rio de Janeiro, poucos meses depois de Hitler ter tomado o poder na Alemanha, em 1933. Os garotos tiveram os nomes trocados por números e seriam obrigados a aderir a ritos nazistas.

Com o fim da AIB após a instalação do Estado Novo por Getúlio Vargas, em 1937, as crianças foram libertadas e as marcas do nazismo no local foram suprimidas. Nos anos 1960, a fazenda foi adquirida pelo alemão Amdt Von Bohlen und Halbach, servindo como local de férias para a família, mas acabou vendida anos depois. Os tijolos com a suástica foram descobertos anos mais tarde por Maciel, que adquiriu a propriedade, quando demolia uma granja de porcos.

Aguilar Filho transformou as pesquisas feitas no local na tese Educação, autoritarismo e eugenia - Exploração do trabalho e violência à infância no Brasil (1930-1945). Ele disse que será "uma calamidade" se a demolição ocorrer. "É um patrimônio público, seja ou não reconhecido pelo Estado. O que aconteceu ali é uma história inconveniente, mas que precisa ser contada." Segundo ele, a pesquisa sobre a célula nazista e a história dos meninos escravos não está completa. "Ainda há muito a ser contado sobre as relações do Estado brasileiro com o regime nazista."

Estudo. A tese de Aguilar Filho analisa aspectos da educação brasileira entre 1930 e 1945 a partir de relatos de vida de 50 meninos "órfãos ou abandonados" sob guarda do Juizado de Menores do Distrito Federal. Eles foram retirados do Educandário Romão de Mattos Duarte, da Irmandade de Misericórdia do Rio de Janeiro, e levados a uma propriedade no interior de São Paulo - a Fazenda Cruzeiro do Sul.

A transferência dessas crianças de 9 a 11 anos foi respaldada pelo Código do Menor de 1927. Por uma década, as crianças foram submetidas a uma educação baseada em longas jornadas de trabalho agrícola e pecuário sem remuneração. Foram submetidas a cárcere, castigos físicos e constrangimentos morais em fazendas de integrantes da cúpula da Ação Integralista Brasileira, simpatizantes do nazismo.

Fonte: Tribuna Hoje

No Café História http://cafehistoria.ning.com/

A IGREJA JÁ TOLEROU O ABORTO


 INTERROMPER A GRAVIDEZ SÓ VIROU PECADO EM 1869, POR CAUSA DE UM CONCHAVO FIRMADO ENTRE O PAPA PIO 9º E O IMPERADOR FRANCÊS NAPOLEÃO 3º
Na Super por Eduardo Szklarz

Toda vez que um papa ou um cardeal vem a público para condenar o aborto, fica a impressão de que a Igreja sempre foi contra. Só que não é bem assim. Já houve um tempo em que a interrupção da gravidez até foi tolerada pelas lideranças católicas. Na verdade, o que ocorre é que os teólogos cristãos nunca foram capazes de chegar a um consenso sobre o tema.

Segundo o escritor e religioso dominicano Frei Betto, a oscilação da Igreja entre condenar o aborto e admiti-lo em certas fases da gravidez é histórica. Por trás disso, sempre esteve a discussão sobre qual é o momento em que o feto pode ser considerado ser humano. "No século 4, Santo Agostinho defendia que só a partir de 40 dias após a fecundação se poderia falar em pessoa", diz o religioso. "Quase 1 000 anos depois, no século 13, São Tomás de Aquino reafirmou não reconhecer como humano o embrião que não completou 40 dias, quando lhe seria infundida a alma racional". Essa posição, de acordo com Frei Betto, virou doutrina oficial da Igreja a partir do Concílio de Trento (século 16). Mas foi contestada por teólogos que, baseados na autoridade de Tertuliano (século 3) e de Santo Alberto Magno (século 13), defendiam a hominização imediata - ou seja, o ser humano existe desde o momento da fecundação. Prevaleceu essa tese, que acabou incorporada pela encíclica Apostolicae Sedis (1869), na qual o papa Pio 9º condena toda e qualquer interrupção voluntária da gravidez.

Para a holandesa Rebecca Grompers, da organização pró-legalização do aborto Women on Waves (Mulheres sobre Ondas), essa foi uma decisão política. Em meio aos conflitos pela unificação da Itália, Pio 9º precisou da proteção das tropas de Napoleão 3º. "O imperador tinha problemas com a baixa natalidade, que prejudicava seus planos de industrialização. Então, conseguiu que o papa declarasse que a alma humana era incorporada na concepção. Em troca, a França o ajudou a retomar sua posição no Vaticano", diz Grompers. No livro Life as It Is ("A Vida como Ela É", inédito no Brasil), o biólogo americano William F. Loomis confirma o "toma lá, dá cá": "Pio 9º declarou que a vida começa na concepção só para ser protegido".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...