segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Câmara rejeita “Lei Claudia Cruz”

Se aprovada, a manobra possibilitaria aos cônjuges e parentes de políticos trazerem de volta, sem penalidade alguma, seus depósitos na Suíça e outros paraísos fiscais. 


Por Cynara Menezes, no blog Socialista Morena:

Foi por pouco, muito pouco. Graças a um destaque apresentado pelo PCdoB, o plenário da Câmara dos Deputados rejeitou a inclusão de cônjuges e parentes de políticos no projeto que reabre prazo para legalização de dinheiro mantido irregularmente no exterior por brasileiros (PL 6568/16). Se aprovada, a manobra possibilitaria aos cônjuges e parentes de políticos trazerem de volta, sem penalidade alguma, seus depósitos na Suíça e outros paraísos fiscais. O projeto já estava sendo apelidado de “Lei Claudia Cruz”, em referência à mulher do ex-deputado federal Eduardo Cunha, que possui R$7,5 milhões na Suíça.

Mais cedo, o texto base do projeto havia sido aprovado, excluindo apenas os políticos e liberando a repatriação à família. A lei atual já exclui agentes públicos e seus parentes, mas o relator do projeto na Câmara, deputado Alexandre Baldy (PTN-GO), havia decidido permitir a adesão dos familiares, o que beneficiaria, por exemplo, a mulher de Cunha. Segundo Baldy, um dos ausentes na sessão que cassou Cunha em setembro de 2016, esse ponto está sendo questionado na Justiça. “É importante entender se é constitucional ou inconstitucional a distinção de pessoas com funções públicas trazida pela lei”, afirmou.

Também defensor da ideia de legalizar o dinheiro enviado por políticos ao exterior não se sabe com que origem, o deputado Alberto Fraga, do DEM do Distrito Federal, ficou indignado com a exclusão e chegou a alegar preconceito contra sua classe. “Estamos dizendo que parente do traficante pode repatriar, mas parente do político não pode. Parente de político é mais bandido que o próprio traficante? É um absurdo”, afirmou.

Na oposição, ao contrário, a inclusão dos cônjuges e parentes de políticos gerou revolta. “Isso é um liberou geral, um escândalo. Estamos autorizando tudo que é parente a trazer dinheiro do exterior, um assunto grave. No projeto anterior, não era assim”, disse Silvio Costa (PTdoB-PE). Para o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), a medida permitiria a lavagem de dinheiro desviado dos cofres públicos. “É uma vergonha que esta Casa se preste ao papel de resolver o problema dos parentes de políticos que têm dinheiro no exterior”, condenou.

O deputado Chico Alencar (Psol-RJ) lembrou justamente da mulher e da filha de Cunha, preso em Curitiba pela Operação Lava Jato. Elas já foram à Justiça pedir a repatriação de bens no exterior, mas o pedido foi negado. “A proposta iria desautorizar decisões judiciais de impedir a legalização de bens no exterior de notáveis que até estão presos”, criticou.


Até mesmo na direita o escancaramento pegou mal. O deputado Esperidião Amin (PP-SC) afirmou que o “enxerto” poderia levar a população a execrar ainda mais os políticos. “Esse dispositivo, que já tinha sido rejeitado na votação da atual lei, é um veneno desnecessário. Não vai fazer bem à Casa”, alertou. “Nesse país, há vários agentes públicos presos e que, evidentemente, têm recursos colocados no exterior de maneira ilícita. Não se pode abrir essa brecha, sob risco de a população entender que a Casa legislou para beneficiar parentes e, de maneira indireta, corruptos”, afirmou o deputado Daniel Coelho (PSDB-PE).

sábado, 18 de fevereiro de 2017

CINDEL LIBERATO – A BELA DA SEMANA


Apreciar a beleza feminina é um prazer imensurável, os olhos que anseiam pelo que é belo deleitam-se em olhar minuciosamente tudo que compõe o espetáculo denominado Mulher, cada gesto, cada detalhe é um ato que satisfaz a plateia sempre atenta e pronta a aplaudir em demasia a impecável performance de sua feminilidade.

E é essa riqueza de detalhes que nos torna cativos aos encantos presentes em Cindel Liberato, ela que neste ensejo nos concede o gosto de poder cultuar a beleza feminina vista e exposta em sua imagem e personalidade, Cindel é a tradução fidedigna daquilo que com naturalidade nos seduz!

Dela provém a certeza da supremacia feminina, a incontestável grandeza da mulher, é percebida em cada traço, em cada linha caprichosamente delineada pela natureza com o propósito de mostrar a excelência proveniente dela... Olhá-la é um prazer, assistir sua beleza é presentear nossas retinas, falar sobre sua formosura, uma necessidade.

Cindel é aquela beleza que o tempo intensifica é a formosura que cresce junto a maturidade da mente, é a mulher necessária que sabe de sua admirável condição, que usa dos seus caprichos para tornar-se ainda mais bela, Cindel é referência, digna de reverência...

Por este motivo ela está aqui, por conta disto, seus pés pisam o pedestal das belas, em virtude de sua beleza, ela vem adornar esta vitrine de únicas neste tradicional e semanal evento onde enaltecemos a superioridade das belas, somada ao privilegio de vê-a neste espaço, está a honra em poder descrevê-la, embora nossas palavras fiquem aquém de sua real beleza.

Apreciemo-na, pois, é o que nos cabe, é o que nos é conferido, a graça de poder decantar o encanto e a magia da mulher, o mais perfeito exemplo da criação, ela está para os olhos privilegiados, brindemos, pois, tais olhos são os nossos, poder vê-la neste panteão de belas é algo além da honra, bendito seja o dia que ela nasceu...

A beleza tem cabelos negros, para o deleite dos nossos olhos, a beleza é mulher, têm os traços da perfeição e atende pelo nome de Cindel.

Prezado observador destas maravilhosas mulheres, seguimos na prazerosa tarefa de apresentar ao mundo o encanto destas inefáveis criaturas, desta vez, eis que diante de nós posa mais uma admirável, assim, que seja dela os louvores, os brindes e os vivas, que para ela esteja reservada a boa sorte e a longevidade de dias, que ela continue encantando olhares, segue nossa gratidão pela permissão ao nos deixar externar a grandeza da mulher tão bem representada em sua imagem... A beleza tem cor morena, Cindel Liberato é a Bela da Semana.

*CINDEL CAROLINE LIBERATO – 28 anos – Filha de Dalvina Teixeira Liberato e Edmundo Alberto. Cindel é torcedora do Santos e estudante de Ciências Contábeis.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Sem querer, Delcídio inocenta Lula e confirma responsabilidade


No curso da ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outras seis pessoas por suposta compra de silêncio de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, o senador cassado Delcídio do Amaral reiterou a tese contra Lula, sem provas materiais e sem assumir o compromisso com a verdade.

Delcídio prestou depoimento nesta quarta-feira (15), na 10ª Vara Federal de Brasília, onde tramita o processo. Por cerca de três horas, o ex-parlamentar mostrou uma aparente "confissão", afirmando ter sido uma "sandice" procurar a família do pecuarista José Carlos Bumlai, supostamente a pedido de Lula, para obstruir a Justiça.

A investigação com base apenas na delação premiada de Delcídio, prestada à Procuradoria-Geral da República no último ano, sustenta que o ex-presidente atuou para comprar o silêncio de Cerveró, antes de que fechasse um acordo de delação com os procuradores da República.

Delcídio narrou que conversou com o ex-presidente em uma reunião no Instituto Lula, ainda em maio de 2015, sobre a possibilidade de Cerveró comprometer a ele e Bumlai em uma eventual delação. De forma completamente genérica, Lula teria dito a Delcídio para "ver essa questão do Bumlai".

O "ver essa questão" foi interpretado por Delcídio do Amaral como uma "ordem". Foi o ex-senador, então, que decidiu procurar a família do pecuarista, que por sua vez teria aceito pagar R$ 50 mil mensais de ajuda financeira à família de Cerveró.

"É nesse contexto que entendemos ter ele atribuído ao ex-Presidente Lula uma frase para que verificasse o que poderia ser feito para ajudar a família de José Carlos Bumlai. Essa afirmação, além de não comprovada, não configura qualquer tentativa de obstrução à justiça", informaram os advogados de Lula.

Se a narrativa hipotética confirma que o ex-presidente não emitiu uma "ordem" efetivamente, ainda, Delcídio admite em seu depoimento a responsabilidade: "cometi a sandice de tomar essa atitude".

A fragilidade do depoimento prestado nesta quarta vai além: tentando voltar a mira ao ex-presidente, o senador cassado tentou garantir que teve "muitas conversas solitárias com o presidente Lula", sem, ainda, lograr a apontar uma testemunha que confirmasse a sua versão.

"Delcidio ainda admitiu não haver testemunha dessa narrativa. Ele reconheceu não ter intimidade com Lula, apenas proximidade política por ser líder do governo a partir do início de 2015 e foi nessa categoria que o ex-Presidente o recebeu", reportaram os advogados Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira.

Delcídio do Amaral foi preso em novembro de 2015, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), após o filho do ex-diretor da estatal, Bernardo Cerveró, apresentar aos investigadores um áudio de Delcídio com a família de Cerveró, negociando a "mesada" e, inclusive, incentivando uma fuga do ex-diretor à Espanha.

Em nota, Zanin e Teixeira afirmaram que as declarações "revelaram de forma inequívoca que ele tinha interesse próprio no processo de delação premiada de Nestor Cerveró".

"Delcidio Amaral admitiu que se sentiu ameaçado em conversas com familiares de Cerveró diante da possibilidade de o ex-diretor da Petrobras delatar supostos recebimentos de propina por ele, Delcidio, em contratos que a Petrobras firmou com a Alston e a GE, e, ainda, por supostas contribuições ilegais relativas à campanha de 2006 para o governo do Estado do Mato Grosso do Sul", publicaram.

Ainda, a defesa de Lula lembrou que em depoimento prestado também à Justiça de Brasília, o próprio ex-diretor Nestor Cerveró disse que Delcídio do Amaral tinha interesses próprios em suas investidas e que a negociação da "mesada" buscavam dissuadi-lo de delatar contra o próprio ex-parlamentar.

E não apenas Nestor Cerveró, como também a advogada do ex-diretor e seu filho Bernardo, confirmaram os interesses individuais de Delcídio, não podendo arrolar o ex-presidente Lula na tratativa planejada pelo ex-senador.

"Todos os demais depoimentos colhidos nessa ação penal colidem com a versão de Delcídio e deixaram claro que Lula jamais fez direta ou indiretamente qualquer intervenção no processo de delação premiada de Nestor Cerveró, seja para impedir, seja para retardar o ato", concluiu a defesa de Lula.

Via – Jornal GGN

STF mantém Eduardo Cunha preso na Penitenciária do Paraná

Em único voto contrário, o ministro Marco Aurélio defendeu a soltura, apesar das graves acusações e indícios criminosos: "Não cabe a mim tomá-lo como Geni", disse.


O Supremo Tribunal Federal (STF) negou, por 8 votos contra 1, o pedido de liberdade do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), mantendo-o preso no Departamento Penitenciário do Paraná.

O relator dos processos da Lava Jato no Supremo, Edson Fachin, argumentou que o tipo de recurso - uma reclamação por desobedecer ordem anterior do STF - usado pela defesa de Cunha não poderia ser aceito. Outros sete ministros que participaram da sessão acompanharam o voto do relator: Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e a presidente do Supremo, Cármen Lúcia.

O advogado de Cunha defendeu que o juiz da Vara Federal da Curitiba, Sérgio Moro, descumpriu uma decisão anterior do próprio Supremo. Tratava-se de um entendimento dos ministros quando julgaram o afastamento do então deputado da presidência da Câmara, em maio de 2016. Ao invés de decidir pela prisão do parlamentar, decidiram pelo afastamento.

"O Supremo hoje não examinou a legalidade ou não da decisão do juiz Sergio Moro sobre prisão do Eduardo, isso ficou para o habeas corpus. O que ele fez hoje foi dizer que o juiz não descumpriu a decisão do Supremo", disse a defesa.

O ministro Ricardo Lewandowski não participou da sessão de julgamento desta quarta-feira (15), e o ministro Marco Aurélio votou a favor da soltura de Cunha, Para ele, apesar da gravidade das acusações contra o peemedebista, não sustentam por si só a prisão antes do julgamento em definitivo dos processos.

Partindo do princípio constitucional de que investigados e réus são inocentes até que se prove o contrário, disse que não cabe a ele tomar Eduardo Cunha como "Geni", ainda que com os indícios criminosos do ex-parlamentar.

"E não adentro aqui o campo de avaliação da simpatia ou antipatia do agravante [Cunha]. E não cabe, permita-me Chico Buarque, tomá-lo como Geni e ter-se a inversão total partindo-se para praticamente o justiçamento quanto à concepção de culpa do agravante", afirmou o ministro.

Via - Jornal GGN

No próximo domingo, evento homenageia Sócrates em UPA de Itaquera


No próximo domingo (19), torcedores irão realizar uma homenagem ao ex-jogador Sócrates, que completaria 63 anos nesta data. Falecido em 2011, Sócrates também era médico e o evento será realizado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 26 de Agosto, em Itaquera, próximo ao estádio do Corinthians.

A homenagem contará com a presença do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, um dos responsáveis pela construção da UPA e da geriatra Celia Medina, que irá falar sobre democratização da Saúde e da necessidade de defesa do Sistema Único de Saúde (SUS). Leia mais abaixo:

Por Antonio Carlos Fon

A torcida do Corinthians vai realizar no próximo domingo, dia 19, às 10h00, uma homenagem ao médico e ex-jogador Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira, ou simplesmente Doutor Sócrates, como ele será sempre lembrado pelos corinthianos. Sócrates, falecido em dezembro de 2011, completaria 63 anos no domingo. A homenagem será na UPA 26 de Agosto, que tem esse nome em comemoração à data em que ele marcou seu primeiro gol pelo Corinthians e fica ao lado da Arena Itaquera e bem próximo ao terminal Itaquera do Metrô. Tão próximo que dá para ir andando de um para o outro.

Sócrates Brasileiro – nós, corintianos, costumamos abolir o resto do sobrenome. Afinal, Sampaio de Souza Vieira de Oliveira é casa grande demais para o Doutor, homem que viveu e amou a senzala. O que ele era mesmo é Brasileiro. Daqueles brasileiros que chegavam a São Paulo, fugindo da fome e dos coronéis, torcendo pelos times de seus estados – Bahia, Vitória, CRB, CSA, Santa Cruz, Botafogo e Auto Esporte e vai... – e acabavam virando corintianos. Até porque, um negro palmeirense que se aventurasse a ir torcer no meio da torcida do Palmeiras para ver o que lhe acontecia. Ou um nordestino ir torcer pelo São Paulo no meio da torcida sampaulina...


Com o Sócrates aconteceu algo parecido. Ele também chegou a São Paulo torcendo por outro time. Na infância era santista, como todos os meninos que cresceram nos anos 60, vendo as maravilhosas apresentações de Pelé. Depois virou Botafogo – de Ribeirão Preto, fique claro – onde ele, meia-direita, camisa 8, conheceu Geraldão, centroavante, camisa 9, e que também se tornou ídolo no Corinthians. E aí aconteceu o Corinthians. E nós e o Doutor nos apaixonamos.

Dizem que não queria vir, não queria largar a faculdade de medicina, o chopp do Pinguim e os amigos Cachaça e Datena. Adiou o noivado por dois anos, mas bastou se conhecerem, ele e a Fiel, para se apaixonarem. E aí, que me desculpe a Katia, foi um amor arrebatador.

O Doutor mergulhou na luta da torcida corinthiana pela democracia no Brasil em tempos de ditadura. E junto com seus companheiros e alguns dirigentes, criou a Democracia Corinthiana, cujo posicionamento combinava a luta pela democracia no país com a luta pela democracia no futebol. Acabou “exilado” na Itália. Ao voltar, já aposentado para o futebol, dedicou sua vida à democratização da saúde.

E é, de certa forma, também sobre democratização da Saúde que deve falar o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha ao abrir a homenagem. Padilha – corinthiano - foi, também, o construtor da UPA 26 de Agosto, que passou a atender os milhões de moradores do extremo da periferia leste de São Paulo. Lá onde fica o estádio do Corinthians.

A geriatra, professora e corinthiana Celia Medina vai falar sobre a necessidade de defesa do SUS contra projetos de privatização da saúde. Walter Falceta, presidente do Coletivo da Democracia Corinthiana, editor, jornalista e especialista na história do Corinthians fará uma exposição sobre Sócrates como jogador, médico e cidadão na defesa da democracia e de um governo voltado para a população mais humilde.

Ex-jogadores companheiros de Sócrates na Democracia Corinthiana e do time campeão de 1977,  ex-dirigentes e personalidades representantes de entidades como o MST, farão uma visita à UPA e a seus pacientes; O encerramento será com uma homenagem à Gaviões da Fiel, Camisa 12 e da Pavilhão Nove, as três torcidas que estão proibidas de assistir os jogos do Corinthians desde a emboscada que levou seus torcedores à prisão, no Rio de Janeiro.

​O ato será animado pela bateria de estádio da Gaviões da Fiel.

Via – Jornal GGN

Reforma do Ensino Médio deve ser implementada em 2019, diz Mendonça Filho

Sancionada na manhã de ontem (16) pelo presidente Michel Temer, a reforma do Ensino Médio deve estar implementada em todo o Brasil a partir de 2019, segundo Mendonça Filho, ministro da Educação.


"Há prazos para os estados se adequarem a essa realidade. A base [Base Nacional Comum Curricular] só estará concluída até o final de 2017. Não poderíamos exigir a implementação plena pelos estados em 2018. Então, isso será feito com mais profundidade só em 2019”, afirmou o ministro.

Entre as principais mudanças na reforma estão a ampliação da carga horário, a formação técnica dentro da grade do ensino médio e a flexibilização do currículo. Mendonça Filho ressaltou o ensino médio é diferente em cada Estado,  e que isso exigirá discussões com órgãos estaduais para a implementação da reforma.

“A lógica é preservar as peculiaridades e valorizar o protagonismo dos sistemas estaduais”, disse Mendonça. O ministro também afirmou que os Estados receberão apoio financeiro e técnico para adotar o novo Ensino Médio, sendo que R$ 1,5 bilhão já foram disponibilizados para este ano e para 2018 para aumentar as matrículas no ensino integral.

Atualmente, 6% dos alunos do ensino médio estão matriculados no ensino integral, e o governo planeja dobrar esse número em três anos.

“Eles estarão acentuando seu protagonismo e a área de conhecimento que já é da sua vocação, para que possam decidir sua trajetória. Ninguém vai fazer uma escolha definitiva sobre o curso, como faz no vestibular”, afirmou o titular da pasta da Educação sobre a possibilidade dos estudantes escolherem a área de conhecimento que pretendem aprofundar.

Mendonça Filho também explicou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será adequado às mudanças da reforma. “Nenhuma mudança ocorrerá de forma repentina e, sim, obedecerá a esse ritmo de ampliação do ensino médio”, afirmou o ministro, que acredita que o novo formato irá promover a igualdade entre alunos da rede pública e de escolas particulares.

Via – Jornal GGN

Para brasileiros, mídia e Judiciário blindam PMDB e PSDB, diz pesquisa

De acordo com levantamento do Paraná Pesquisas, encomendado pelo Brasil 247, 61% dos brasileiros consideram que a mídia e o Judiciário blindam políticos do PMDB e do PSDB, que hoje formam a coalizão responsável pelo golpe parlamentar de 2016.


A percepção de falta de isenção se dá em todo o território nacional: 63,3% no Sudeste, 62,8% no Sul, 59% no Norte e Centro-Oeste e 57,4% no Nordeste.

Entre os tucanos e peemedebistas delatados pelas empreiteiras, constam nomes como os ministros José Serra e Eliseu Padilha, o governador Geraldo Alckmin, os senadores Aécio Neves e Romero Jucá, além do próprio Michel Temer.

Ou seja: ao contrário do que prometeu o procurador-geral Rodrigo Janot, pau que bate em Chico, não bate em Francisco.

Outra pesquisa aponta que para nada menos que 42,7% dos brasileiros, Lula vem sendo alvo de perseguição movida pelo Poder Judiciário e pelos meios de comunicação.

"É um percentual extremamente alto, que revela que até não eleitores de Lula enxergam exageros contra ele", diz Murilo Hidalgo, diretor do instituto.

Como se sabe, a Lava Jato atinge todo o sistema político brasileiro, em especial a base de Michel Temer – ele próprio delatado 43 vezes na primeira delação da Odebrecht, por ter pedido R$ 11 milhões em pleno Palácio do Jaburu.

Lula, no entanto, vem sendo processado por um triplex no Guarujá que, segundo as próprias testemunhas de acusação, não lhe pertence, e pela guarda de objetos que ganhou na presidência – acusação em que teve como testemunha de defesa o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Liderados por Cristiano Zanin Martins, os advogados do ex-presidente já foram às Nações Unidas para denunciar que Lula vem sendo alvo de "lawfare", uma estratégia de guerra que usa meios de comunicação e Poder Judiciário contra os inimigos políticos.

Esta parece ser a tática para derrotar Lula fora das urnas. Se as eleições presidenciais fossem hoje, Lula seria eleito presidente, mas as oligarquias brasileiras pretendem impedi-lo com condenações em primeira instância, por parte do juiz Sergio Moro, e depois no Tribunal Regional Federal.

Fonte: Brasil 247
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...