APRESENTADO A COMARCA PARA O MUNDO E O MUNDO PARA A COMARCA

TEMOS O APOIO DE INFOMANIA SOLUÇÕES EM INFORMÁTICA Fones 9986 1218 - 3432 1208 - AUTO-MECÂNICA IDEAL FONE 3432-1791 - 9916-5789 - 9853-1862 - JOALHERIA OURO BRANCO 44 9839-3200 - NOVA ÓTICA Fone (44) 3432 -2305 Cel (44) 8817- 4769 Av. Londrina, 935 - Nova Londrina/PR - VOCÊ É BONITA? VENHA SER A PRÓXIMA BELA DA SEMANA - Já passaram por aqui: MORGANA VIOLIM - MAIQUELE VITALINO - BRENDA PIVA - ESTEFANNY CUSTÓDIO - ELENI FERREIRA - GIOVANA lIMA - GIOVANA NICOLINI - EVELLIN MARIA - LOHAINNE GONÇALVES - FRANCIELE ALMEIDA - LOANA XAVIER - GABRIELA CRUZ- KARINA SPOTTI - TÂNIA OLIVEIRA - RENATA LETÍCIA - TALITA FERNANDA - JADE CAROLINA - TAYNÁ MEDEIROS - BEATRIZ FONTES - LETYCIA MEDEIROS - MARYANA FREITAS - THAYLA BUGADÃO NAVARRO - LETÍCIA MENEGUETTI - STEFANI ALVES - CINDEL LIBERATO - RAFA-REIS - BEATRYZ PECINI - IZABELLY PECINI - THAIS BARBOSA - MICHELE CECCATTO - JOICE MARIANO - LOREN ZAGATI - GISELE BERNUSSO - RAFAELA RAYSSA - LUUH XAVIER - SARAH CRISTINA - YANNA LEAL - LAURA ARAÚJO TROIAN - GIOVANNA MONTEIRO DA SILVA - PRISCILLA MARTINS RIL - GABRIELLA MENEGUETTI JASPER - MARIA HELLOISA VIDAL SAMPAIO - HELOÍSA MONTE - DAYARA GEOVANA - ADRIANA SANTOS - EDILAINE VAZ - THAYS FERNANDA - CAMILA COSTA - JULIANA BONFIM - MILENA LIMA - DYOVANA PEREZ - JULIANA SOUZA - JESSICA BORÉGIO - JHENIFER GARBELINI - DAYARA CALHEIROS - ALINE PEREIRA - ISABELA AGUIRRE - ANDRÉIA PEREIRA - MILLA RUAS - MARIA FERNANDA COCULO - FRANCIELLE OLIVEIRA - DEBORA RIBAS - CIRLENE BARBERO - BIA SLAVIERO - SYNTHIA GEHRING - JULIANE VIEIRA - DUDA MARTINS - GISELI RUAS - DÉBORA BÁLICO - JUUH XAVIER - POLLY SANTOS - BRUNA MODESTO - GIOVANA LIMA - VICTÓRIA RONCHI - THANYA SILVEIRA - ALÉKSIA LAUREN - DHENISY BARBOSA - POLIANA SENSON - LAURA TRIZZ - FRANCIELLY CORDEIRO - LUANA NAVARRO - RHAYRA RODRIGUES - LARISSA PASCHOALLETO - ALLANA BEATRIZ - WANDERLÉIA TEIXEIRA CAMPOS - BRUNA DONATO - VERÔNICA FREITAS - SIBELY MARTELLO - MARCELA PIMENTEL - SILVIA COSTA - JHENIFER TRIZE - LETÍCIA CARLA -FERNANDA MORETTI - DANIELA SILVA - NATY MARTINS - NAYARA RODRIGUES - STEPHANY CALDEIRA - VITÓRIA CEZERINO - TAMIRES FONTES - ARIANE ROSSIN - ARIANNY PATRICIA - SIMONE RAIANE - ALÉXIA ALENCAR - VANESSA SOUZA - DAYANI CRISTINA - TAYNARA VIANNA - PRISCILA GEIZA - PATRÍCIA BUENO - ISABELA ROMAN - RARYSSA EVARISTO - MILEIDE MARTINS - RENATHA SOLOVIOFF - BEATRIZ DOURADO - NATALIA LISBOA - ADRIANA DIAS - SOLANGE FREITAS - LUANA RIBEIRO - YARA ROCHA - IDAMARA IASKIO - CAMILA XAVIER - BIA VIEIRA - JESSICA RODRIGUES - AMANDA GABRIELLI - BARBARA OLIVEIRA - VITORIA NERES - JAQUE SANTOS - KATIA LIMA - ARIELA LIMA - MARIA FERNANDA FRANCISQUETI - LARA E LARISSA RAVÃ MATARUCO - THATY ALVES - RAFAELA VICENTIN - ESTELLA CHIAMULERA - KATHY LOPES - LETICIA CAVALCANTE PISCITELI - VANUSA SANTOS - ROSIANE BARILLE - NATHÁLIA SORRILHA - LILA LOPES - PRISCILA LUKA - SAMARA ALVES - JANIELLY BOTA - ELAINE LEITE CAVALCANTE - INGRID ZAMPOLLO - DEBORA MANGANELLI - MARYHANNE MAZZOTTI - ROSANI GUEDES - JOICE RUMACHELLA - DAIANA DELVECHIO - KAREN GONGORA - FERNANDA HENRIQUE - KAROLAYNE NEVES TOMAS - KAHENA CHIAMULERA - MACLAINE SILVÉRIO BRANDÃO - IRENE MARY - GABRIELLA AZEVEDO - LUANA TALARICO - LARISSA TALARICO - ISA MARIANO - LEIDIANE CARDOSO - TAMIRES MONÇÃO - ALANA ISABEL - THALIA COSTA - ISABELLA PATRICIO - VICTHORIA AMARAL - BRUNA LIMA - ROSIANE SANTOS - LUANA STEINER - SIMONE OLIVEIRA CUSTÓDIO - MARIELLE DE SÁ - GISLAINE REGINA - DÉBORA ALMEIDA - KIMBERLY SANTOS - ISADORA BORGHI - JULIANA GESLIN - BRUNA SOARES - POLIANA PAZ BALIEIRO - GABRIELA ALVES - MAYME SLAVIERO - GABRIELA GEHRING - LUANA ANTUNES - KETELEN DAIANA - PAOLLA NOGUEIRA - POLIANY FERREIRA DOS ANOS - LUANA DE MORAES - EDILAINE TORRES - DANIELI SCOTTA - JORDANA HADDAD - WINY GONSALVES - THAÍSLA NEVES - ÉRICA LIMA CABRAL - ALEXIA BECKER - RAFAELA MANGANELLI - CAROL LUCENA - KLAU PALAGANO - ELISANDRA TORRES - WALLINA MAIA - JOYCE SAMARA - BIANCA GARCIA - SUELEN CAROLINE - DANIELLE MANGANELLI - FERNANDA HARUE - YARA ALMEIDA - MAYARA FREITAS - PRISCILLA PALMA - LAHOANA MOARAES - FHYAMA REIS - KAMILA PASQUINI - SANDY RIBEIRO - MAPHOLE MENENGOLO - TAYNARA GABELINI - DEBORA MARRETA - JESSICA LAIANE - BEATRIS LOUREIRO - RAFA GEHRING - JOCASTA THAIS - AMANDA BIA - VIVIAN BUBLITZ - THAIS BOITO - SAMIA LOPES - BRUNA PALMA - ALINE MILLER - CLEMER COSTA - LUIZA DANIARA – ANA CLAUDIA PICHITELLI – CAMILA BISSONI – ERICA SANTANA - KAROL SOARES - NATALIA CECOTE - MAYARA DOURADO - LUANA COSTA - ANA LUIZA VEIT - CRIS LAZARINI - LARISSA SORRILHA - ROBERTA CARMO - IULY MOTA - KAMILA ALVES - LOISLENE CRISTINA - THAIS THAINÁ - PAMELA LOPES - ISABELI ROSINSKI - GABRIELA SLAVIERO - LIARA CAIRES - FLÁVIA OLIVEIRA - GRAZI MOREIRA - JESSICA SABRINNI - RENATA SILVA -SABRINA SCHERER - AMANDA NATALIÊ - JESSICA LAVRATE - ANA PAULA WESTERKAMP- RENATA DANIELI - GISELLY RUIZ - ENDIARA RIZZO - *DAIANY E DHENISY BARBOSA - KETLY MILLENA - MICHELLE ENUMO - ISADORA GIMENES - GABRIELA DARIENSO - MILENA PILEGI - TAMIRES ONISHI - EVELIN FEROLDI - ELISANGELA SILVA - PAULA FONTANA CAVAZIM - ANNE DAL PRÁ - POLLIANA OGIBOWISKI - CAMILA MELLO - PATRICIA LAURENTINO - FLOR CAPELOSSI - TAMIRES PICCOLI - KATIELLY DA MATTA - BIANCA DONATO - CATIELE XAVIER - JACKELINE MARQUES - CAROL MAZZOTTI - DANDHARA JORDANA - BRENDA GREGÓRIO - DUDA LOPES - MILENA GUILHEN - MAYARA GREGÓRIO - BRUNA BOITO - BETHÂNIA PEREIRA - ARIELLI SCARPINI - CAROL VAZ - GISELY TIEMY -THAIS BISSONI - MARIANA OLIVEIRA - GABRIELA BOITO - LEYLLA NASCIMENTO - JULIANA LUCENA- KRISTAL ZILIO - RAFAELA HERRERA - THAYANA CRISTINA VAZ - TATIANE MONGELESKI - NAYARA KIMURA - HEGILLY CORREIA MIILLER - FRANCIELI DE SANTI - PAULA MARUCHI FÁVERO - THAÍS CAROLINY - IASMIM PAIVA - ALYNE SLAVIERO - ISABELLA MELQUÍADE - ISABELA PICOLLI - AMANDA MENDES - LARISSA RAYRA - FERNANDA BOITO - EMILLY IZA - BIA MAZZOTTI - LETICIA PAIVA - PAOLA SLAVIERO - DAIANA PISCITELLE - ANGELINA BOITO - TALITA SANTOS Estamos ha 6 anos no ar - Mais de 700 acessos por dia, mais de um milhão de visualizações - http://mateusbrandodesouza.blogspot.com.br/- Obrigado por estar aqui, continue com a gente

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Fé, Vontade e Esperança!

Por Emilly Izá

"Sabe aquele papo de que a esperança é a ultima que morre? Então, é tudo mentira.

 Na verdade, a ultima coisa que morre é a vontade. Pois se não há vontade, não há esperança. É assim que é. Enquanto temos vontade, não deixamos de  lutar por aquilo que queremos. E quanto mais vontade há de se conquistar algo, mais esperança existe.

E a força do nosso pensamento é tão incrível,  que se acreditarmos cada vez mais, se tivermos fé, aquilo tão desejado se torna realidade. É como dizem, o que é pra ser nosso, será! Independentemente do tempo que durar a nossa luta, no fim o que está escrito não se apaga!

É só ter vontade, acreditar e ter fé! Afinal, se você tem fé, basta!"

* Emilly Izá – Nova Londrina Pr - 17 anos e colaboradora deste blog.

TEMPO DE PAZ.

Por Mayara Gregório

A chuva cai no meu telhado e invade minha alma de paz, minha alma anseava tanto por essa serenidade,o canto dos pássaros, me leva a ter mais otimismo, a vida afinal é bela de se viver.

Não ouça o grito de uma pessoa limitada, ouça sim o canto dos pássaros em uma floresta; não fique triste com o amor que te deixou, mas fique alegre com os amores que estão por vir;
Não sinta a tristeza de um dia frio, mas sinta o frescor de uma chuva após um dia quente, hoje a chuva brilha mais forte pra mim, tenho certeza minha paz eu encontrei.

* Mayara Gregório da Silva , tem 18 anos é de Marilena e colaboradora deste blog.

UM CORPO DE MULHER

Um corpo de mulher,em movimento,
Inspira versos,vira tema de canção.
Não há nada mais bonito e atraente
Que um corpo de mulher em evolução.

Um corpo de mulher,pura magia,
Seduz os homens,leva eles à loucura.
Quando exposto de maneira sensual,
Faz qualquer um,perder a compostura.

Um corpo de mulher,em evidência,
É o prazer misturado à sedução.
E ele nú,uma obra- prima perfeita,
Obra de arte,sublime inspiração.

Um corpo de mulher,encantamento,
É o que dá vida,que excita,gera amor.
E,como diz diz Amelinha,
Que faz o homem gemer sem sentir dor!!!

Luiz Carlos Gurutuba


A IDEIA DE RITA LEE

O QUE É DEMOCRACIA?

Considere a ilustração:

25 SEMANAS DE BELEZA FEMININA ESTAMPADA EM NOSSA PÁGINA

Nossos agradecimentos às beldades que por aqui deixaram estampada suas inefáveis belezas. Reveja a postagem relacionada à cada uma delas, Aqui:


LEYLLA NASCIMENTO:

JULIANA LUCENA:

KRISTAL ZILIO

RAFAELA HERRERA:


TATIANE MONGELESKI:

NAYARA KIMURA:

HEGILLY CORREIA MIILLER:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/12/hegilly-correia-miiller-bela-da-semana.html

FRANCIELI DE SANTI:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/12/francieli-de-santi-bela-da-semana.html

PAULA MARUCHI FÁVERO:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/11/paula-maruchi-favero-bela-da-semana.html

THAÍS CAROLINY:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/11/thais-caroliny-bela-da-semana.html

IASMIM PAIVA:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/11/iasmim-paiva-bela-da-semana.html

ALYNE SLAVIERO:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/11/alyne-slaviero-bela-da-semana.html

ISABELLA MELQUÍADES:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/10/isabella-melquiades-bela-da-semana.html

ISABELA PICOLLI:
http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/10/isabela-picolli-bela-da-semana.html

HAMANDA MENDES:http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/10/hamanda-mendes-bela-da-semana.html

LARISSA RAYRA:http://mateusbrandodesouza.blogspot.com/2011/10/larissa-rayra-dos-santos-bela-da-semana.html

FERNANDA BOITO:

Dilma está em Cuba para aprofundar relações.


A presidente Dilma Rousseff, chlegou a Cuba na tarde da segunda-feira (30), para uma visita oficial.Ela foi recebida no aeroporto José Marti pelo chanceler cubano, Bruno Rodríguez.

De aordo com agenda divulgada pela chancelaria cubana, Dilma será recebida na manhã desta terça-feira no Palácio da Revolução pelo general de Exército Raúl Castro Ruz, presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, e desenvolverá outras atividades. A mandatária também prestará homenagem ao Herói Nacional cubano, José Martí.

A presidente brasileira visitará o Porto de Mariel, a cerca de 50 quilômetros a oeste de Havana, onde se constrói uma obra de expansão na qual o Brasil participa com 300 milhões de dólares, de um total de 800 milhões de dólares que custa o projeto.

A viagem de Dilma a Cuba é uma demonstração do fortalecimento das relações com Cuba, país com o qual mantém um alto nível de cooperacção em setores como educação e agricultura.

Depois da Venezuela, o Brasil é o segundo sócio comercial latinoamericano de Cuba, e atualmente participa na modernização do porto del Mariel, no ocidente da ilha. Igualmente desenvolve tecnologias e oferece asessoria para a produção de soja e milho em Cuba.

Na atualidade cerca de 700 brasileiros realizam estudos em Cuba, país onde mais de 600 jovens do Brasil já se formaram.

Segundo a chancelaria brasileira, esta visita é "uma oportunidade para aprofundar o crescente diálogo e a cooperação bilaterais, que experimentaram um crescimento importante e grande diversificação nos últimos anos".

Fontes brasileiras anunciaram esta semana que Dilma assinará novos acordos econômicos durante su estada no país caribenho.

O governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [2003-2011] abriu um período de cooperação com Cuba em diversos ramos como o biotecnológico e o energético que o governo da presidente Dilma está interesado em desenvolver.

Brasil e Cuba participam do bloco da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).

Cubadebate e Prensa Latina - Via Portal Vermelho http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=174420&id_secao=1

Deputado federal Moacir Micheletto Morre em acidente de trânsito.


O deputado federal Moacir Micheletto (PMDB-PR) morreu na tarde desta segunda-feira (30) vítima de um acidente de trânsito na PR-239, perto do município paranaense de Assis Chateaubriand (574 km de Curitiba).

O acidente ocorreu por volta das 17h. Segundo sua assessoria, Micheletto estava sozinho em seu Corolla, que bateu contra uma caminhonete. O deputado, que morreu na hora, viajava até um sítio que mantinha no oeste do Estado.

Agrônomo, Micheletto tinha 69 anos, era filiado ao PMDB desde 1982 e definia a si mesmo como "a voz da agricultura" - ele era coordenador político da Frente Parlamentar da Agropecuária.

Em 2007, seu nome foi cogitado pelo partido para ocupar o Ministério da Agricultura, no segundo governo de Lula, mas a indicação não foi levada pela cúpula do PMDB ao presidente.

O político estava em seu quarto mandato como deputado federal (antes, havia assumido a cadeira de deputado na condição de suplente por duas vezes, em 1993 e 1997).

No lugar de Micheletto, assume o também peemedebista Odílio Balbinotti (PMDB-PR), 70, ex-deputado federal por quatro mandatos.

Tal como Micheletto, Balbinotti também é vinculado à bancada ruralista e havia sido cogitado como ministro da Agricultura, em 2007, mas desistiu depois da revelação de suspeitas de irregularidades.

Fonte. Folha.com

O Brasil não é racista? Jornalista foi expulso de cinema por seguranças do Mooca Plaza Shopping. Polícia disse que não faria nada.


O delegado geral Marcos Carneiro Lima determinou que a Polícia Civil investigue se o jornalista José Rodolfo Pereira, 26 anos, foi vítima de racismo ao ser expulso de uma sala de cinema no Mooca Plaza Shopping, Zona Leste, no sábado.

José foi surpreendido por um funcionário do cinema alegando ter recebido uma denúncia de que o jornalista estava se masturbando na sessão. Minutos depois, o gerente voltou a procurá-lo e comunicou que ele não poderia mais ficar ali.

Segundo os funcionários, a queixa foi feita por uma mulher que estava ao lado de José. O jornalista conta que a água e a pipoca dela caíram e ele colocou de volta no lugar. "E foi só. Nem olhei para o rosto dela", diz José.

O shopping não permitiu que José argumentasse. Ninguém levou em consideração o fato de a calça dele estar no lugar e nenhuma testemunha do possível ato obsceno ter sido chamada. Também não informaram o nome da mulher que supostamente fez a denúncia ou chamaram a polícia para formalizar a acusação.

O jornalista conta que a indignação foi tanta que ele preferiu ir embora para evitar mais constrangimento. O dinheiro do ingresso foi devolvido. Negro, o rapaz encontra na cor de sua pele a única justificativa para o que aconteceu. "Eu nunca coloquei isso à frente de qualquer coisa na minha vida, mas está claro que fui vítima de preconceito. Um racismo velado", disse.

No caminho de casa, José foi até o 26º DP (Sacomã), onde foi informado que não poderia registrar o caso sem fornecer o nome dos seguranças que o expulsaram. No 18º DP (Alto da Mooca), ele fez um boletim de ocorrência de natureza não criminal e foi orientado a procurar um advogado.

Para Hédio Silva Júnior, ex-secretário estadual de Justiça, José foi vítima do shopping e da polícia, que não deu atenção para o caso. "Não precisa dizer que ele foi expulso porque é negro. Isso é óbvio", opina.
Ao ser informado pelo DIÁRIO sobre o ocorrido, o delegado geral admitiu a falha da polícia e determinou instauração de inquérito policial. "Nossa obrigação é investigar. Foi uma atitude lamentável", disse.

A reportagem procurou os responsáveis pelo Mooca Plaza Shopping durante toda a tarde de ontem e foi informada de que o expediente administrativo funciona só de segunda a sexta.

Fonte: Rede Bom Dia


Via TERRA BRASILIS 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

METRÔ LINHA 743

Por Raul Seixas.


Ele ia andando pela rua meio apressado
Ele sabia que tava sendo vigiado
Cheguei para ele e disse: Ei amigo, você pode me ceder um cigarro?
Ele disse: Eu dou, mas vá fumar lá do outro lado
Dois homens fumando juntos pode ser muito arriscado!
Disse: O prato mais caro do melhor banquete é
O que se come cabeça de gente que pensa
E os canibais de cabeça descobrem aqueles que pensam
Porque quem pensa, pensa melhor parado.
Desculpe minha pressa, fingindo atrasado
Trabalho em cartório mas sou escritor,
Perdi minha pena nem sei qual foi o mês
Metrô linha 743

O homem apressado me deixou e saiu voando
Aí eu me encostei num poste e fiquei fumando
Três outros chegaram com pistolas na mão,
Um gritou: Mão na cabeça malandro, se não quiser levar chumbo quente nos cornos
Eu disse: Claro, pois não, mas o que é que eu fiz?
Se é documento eu tenho aqui...
Outro disse: Não interessa, pouco importa, fique aí
Eu quero é saber o que você estava pensando
Eu avalio o preço me baseando no nível mental
Que você anda por aí usando
E aí eu lhe digo o preço que sua cabeça agora está custando
Minha cabeça caída, solta no chão
Eu vi meu corpo sem ela pela primeira e última vez
Metrô linha 743

Jogaram minha cabeça oca no lixo da cozinha
E eu era agora um cérebro, um cérebro vivo à vinagrete
Meu cérebro logo pensou: que seja, mas nunca fui tiete
Fui posto à mesa com mais dois
E eram três pratos raros, e foi o maitre que pôs
Senti horror ao ser comido com desejo por um senhor alinhado
Meu último pedaço, antes de ser engolido ainda pensou grilado:
Quem será este desgraçado dono desta zorra toda?
Já tá tudo armado, o jogo dos caçadores canibais
Mas o negócio aqui tá muito bandeira
Dá bandeira demais meu Deus
Cuidado brother, cuidado sábio senhor
É um conselho sério pra vocês
Eu morri e nem sei mesmo qual foi aquele mês
Ah! Metrô linha 743

Mestre Ziraldo.



Ziraldo Alves Pinto (Caratinga, 24 de outubro de 1932), cartunista, chargista, pintor, dramaturgo, caricaturista, escritor, cronista, desenhista, humorista, colunista e jornalista brasileiro. É o criador de personagens famosos, como o Menino Maluquinho, e, atualmente, um dos mais conhecidos e aclamados escritores infantis do Brasil.(Wikipédia)



AQUI EMBAIXO AS LEIS SÃO DIFERENTES.

Só atletas devem consumir suplementos alimentares


O consumo excessivo ou de maneira inadequada desses produtos pode gerar excesso de peso, diabete, problemas renais e hepáticos

As promessas são inúmeras: de reduzir gorduras “em um passe de mágica” a aumentar a massa muscular em pouco tempo ou dar mais energia para os treinos. Quando o assunto é suplementos alimentares, há todo o tipo de indicação de benefícios nas embalagens dos produtos vendidos em academias e lojas especializadas. Os especialistas, porém, garantem: as sugestões de uso são bem restritas e o consumo sem orientação profissional pode desencadear em uma série de problemas graves à saúde.

O médico e presidente da Socie­­dade Brasileira de Medicina do Exer­­cício e do Esporte, Jomar Sou­za, explica que apenas pessoas que têm carga de atividade física muito intensa, como atletas profissionais, devem usar suplementação como forma de complementar a ingestão de nutrientes – e, consequentemente, sanar a demanda por energia – que a alimentação do dia a dia não é capaz de suprir. “Basta notar que um maratonista profissional precisa de uma quantidade muito grande de nutrientes para manter seu ritmo de treinos e competições, enquanto uma pessoa que faz exercícios na academia não.”

Segundo ele, no caso de pessoas que não praticam exercícios de maneira profissional, mas pensam em usar suplementação, a recomendação é marcar uma consulta com um médico ou nutricionista, fazer uma avaliação e descobrir se é realmente necessário complementar a dieta. “Só esses profissionais po­­dem fazer uma avaliação a partir do nível de atividade física da pessoa, seu gasto calórico e sua dieta para analisar se a alimentação do dia a dia é suficiente ou quais os suplementos mais indicados para o caso.”

Na maioria das vezes, uma reformulação do cardápio, tirando as gorduras saturadas, sódio e açúcar e apostando em gorduras insaturadas, fibras, vitaminas e sais minerais, já é suficiente para garantir bons resultados.

Os suplementos também não podem substituir os alimentos durante as refeições. “Há quem deixe de se alimentar e passa o dia à base de suplementos variados, o que é muito perigoso. O ideal é que a pessoa mantenha um cardápio rico e balanceado e que os suplementos sejam só um adendo à sua dieta”, comenta a nutricionista especialista em nutrição esportiva e professora do curso de Nu­­trição da Pontifícia Universidade Católica do Paraná Louise Saliba.

Problemas

Os riscos dos exageros e da falta de orientação são grandes. Suple­mentos com proteínas podem desencadear problemas nos rins ou no fígado, enquanto os de carboidratos causam desequilíbrio nos níveis de açúcar no sangue, o que favorece o desenvolvimento de diabete em quem tem fatores de risco para a doença. No caso dos enriquecidos com vitaminas, o risco é de ter uma intoxicação por excesso desse nutriente no organismo. “A pessoa passa do limite tolerável para o dia e pode ter uma sobrecarga hepática.”

Uso de anabolizantes é ainda mais restrito

Os especialistas esclarecem que anabolizantes não são considerados suplementos alimentares. “São classificações diferentes. Os suplementos são formados por vitaminas e sais minerais que a pessoa encontra na alimentação normal e que ali estão concentrados em forma de pó, líquido ou cápsulas, enquanto os anabolizantes são medicações vendidas em farmácias, que tem uso restrito e são contraindicados para fins estéticos”, diz o presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, Jomar Souza.

Atualmente, os anabolizantes são receitados para idosos com baixa hormonal, casos de osteoporose avançada, anemias graves, pacientes com desnutrição avançada e em alguns tipos de câncer de mama. “Mas, em todos os casos, há prescrição médica e a farmácia faz a retenção da receita para garantir o controle da venda.”

Segundo ele, é importante que as pessoas não comprem anabolizantes, porque grande parte é vendida de maneira ilegal para fins estéticos.

Rita Lee é presa: a cantora teria chamado PMs de "cavalo", "cachorro" e "filho da puta".


No último show de sua carreira, a cantora Rita Lee foi presa por desacato. O fato aconteceu na madrugada deste domingo (dia 29) em Aracaju. Levada à delegacia, ela já foi liberada.

A apresentacão na capital de Sergipe marca o encerramento da carreira ao vivo de Rita Lee. no último dia 21, no Rio de Janeiro. A cantora de 67 anos havia anunciado sua aposentadoria dos palcos
A confusão em Aracaju ocorreu porque, durante o show, Rita Lee gritou contra policiais que teriam agredido alguns fãs. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a cantora chamou PMs de "cavalo", "cachorro" e "filho da puta". Após o final da apresentação, ela foi levada a uma delegacia.

No Twitter, Rita Lee escreveu sobre o caso:

"Polícia dando trabalho p/ mim, quer me prender, embasamento legal ñ há, ñ retiro uma palavra do q disse, o show era meu!".
"Alô twittlawyers, polícia abusiva e abusada, nao sou obrigada a fazer o q me pedem: ir à delegacia agora, ou amanha às 9".

"Último show e ela vai presa? Nao poderia ser mais la cantante, afff".
"Tô indo p/ a delegacia...a polícia d Aju ñ gosta d mim mas Sergipe gosta, estou dentro do carro, eles estaaoentravv".

Na delegacia, Rita Lee assinou boletim de ocorrência por desacato e foi liberada. A ex-senadora Heloísa Helena, que assistiu ao show, testemunhou a favor da cantora.


O cantor Lobão, no Twitter, comentou o episódio:
"Mas era soh o que faltava ...prender a Ritinha eh de ultima!".
"Esses babacas num tem vergonha da cagada que estao fazendo nao?!".


Via IG

Soneto dos Olhos Azuis


São como dois azuis perdidos lagos
Teus lagos olhos, mansos olhos rasos
Puríssimos azuis, dos prantos vasos
Perdidos olhos claros como lagos.
Espelham os teus olhos mundos vagos
Lagos espelham sóis azuis, ocasos
Translúcidos azuis dos meus acasos
Teus raros olhos claros, olhos vagos.

Vagueiam sobre mim teus olhos caros
Claríssimos azuis teus olhos raros
Perdidos olhos calmos como lagos.

Espelhos que refletem mundos rasos
Espelham sentimentos que são vasos
Teus olhos tão azuis... azuis... e vagos.

Aramis Ribeiro Costa  

* Foto: Dayane Souza

domingo, 29 de janeiro de 2012

Escravos do preconceito: Crianças negras adotadas por famílias brancas ainda enfrentam o preconceito e a reação de estranheza da sociedade


Por Jaciara Santos.

Na praça de alimentação de um grande shopping aqui de Salvador, o menino negro e franzino está sentado sozinho a uma mesa. É o horário de almoço de um dia de semana e fica evidente que ele guarda o lugar para alguém. Como precisamos de mais uma cadeira, minha filha lhe pergunta se uma das quatro que ele protege está disponível. Por timidez ou por não ter entendido a pergunta, o garoto nada responde.

Sempre de olho na possibilidade de surgir uma acomodação para três pessoas, acabo desviando o olhar do guri. Quando volto a tê-lo sob as vistas, me ponho em alerta. Uma mulher branca, cabelos grisalhos, acabara de sentar ao lado do menino e parece estar ralhando com ele, que se encolhe como se fosse mergulhar para debaixo da mesa. Já disposta e comprar uma briga, mas escondendo as garras, finjo ignorar a recém-chegada e pergunto ao garoto: "E aí, cadê sua mãe?".

Enquanto o menino faz um gesto como se apontasse alguém no meio da praça de alimentação, a senhora se apressa em responder. "A mãe dele está lá na fila, pegando o almoço. Eu sou a avó dele...". (Sinto como se houvesse levado um soco no estômago). Como se tivesse lido meus pensamentos, a mulher continua: "Eu estou reclamando com ele (olha para o menino com indisfarçável ternura) porque ele fica falando que está com fome. Fica gritando (faz um gesto de carinho nele) e isso é feio. Não é assim que se faz...".

Minha filha entabula uma conversa com a mulher, conta que seu filho caçula também age da mesma maneira. "Eu dou bronca, brigo, mas...". Ouço somente fragmentos da conversa, envergonhada que estou com meu julgamento sobre o comportamento da mulher, sobre a condição do menino, sobre o cenário.

Fico imaginando quantas outras vezes aquele menino negro e franzino deve ter sido alvo de estranheza no mundo branco dos pais adotivos. Pelo menos aparentemente, ficava evidente que aquela criança era amada e criada para ser um cidadão do mundo e não como um pirralho mal educado, desses que chutam a canela dos adultos, sob a complacência dos pais.

Penso o quanto deve ser difícil para aquela família branca obter a inclusão de seu filho negro num mundo ainda tão escravo dos preconceitos. Deve ser uma tarefa árdua, ter que provar o tempo todo que o amor não tem cor, credo, sexo, idade nem condição social. Ao dizer ao neto como se portar em público, aquela avó desempenhava seu papel de educadora e, certamente, não teria chamado a atenção se seus traços étnicos coincidissem com os da criança.

Perdida nessas reflexões e já acomodada numa mesa próxima, nem vi quando a mãe do menino retornou com a refeição. Quando me dei conta, o guri já devorava um prato de massa, sob os olhares enternecidos da mãe e da avó, indiferente ao burburinho em redor. Penso nos meus netos, mestiços de pele clara, bem diferentes de mim e do meu marido. O mais novo tem os cabelos bem claros, embora o nariz chato sinalize o sangue negro que lhe corre nas veias. Perdi a conta das vezes em que me tomaram por babá deles...

Em meio a essas reflexões, lembro agora de um episódio, três décadas atrás, quando minha filha nasceu, na Maternidade do Iperba, em Brotas. Com a pele bem clara, nariz pequeno e afilado, olhos repuxados e cabelo liso bem preto, parecia uma chinesinha. Síndrome da mãe coruja à parte, ela era um bebê bonito. Tanto que chamou a atenção de uma mulher que visitava outra paciente. Depois de olhar para a recém-nascida e para mim, a criatura disparou: "É sua filha, é? Que gracinha... Não tem nada de você, deve parecer com o pai, né?...".

Guardadas as proporções, é quando menos esperamos que o preconceito aflora em nós, pretos e brancos. Somos escravos do preconceito! Mas não custa sonhar. Talvez um dia, num futuro não muito distante, o sonho de liberdade do pastor e ativista político norte-americano Martin Luther King (1929-1968) venha a se tornar realidade: o dia em que negros e brancos não serão julgados pela cor da pele, mas pela essência do seu caráter. E que crianças negras adotadas por famílias brancas, assim como meninos de pele clara nascidos em famílias negras possam alcançar a inclusão social sem traumas, nem reações de estranheza.


No Brasil247 Via  MARIA DA PENHA NELES 

A GEOGRAFIA DO BRASIL SEGUNDO OS POLÍTICOS:



Via TERRA BRASILIS

Sozinhos, os pequenos são fracos. Organizados, os pequenos podem qualquer coisa.

O PIG, os CORRUPTOS e Cia.

sábado, 28 de janeiro de 2012

LEYLLA NASCIMENTO - A BELA DA SEMANA.


Encanto maior de minha rua. Basta ela passar, com sua ginga, com o molejo típico das mulatas e minha rua se torna uma paisagem de festa, uma cascata de luz.

Sim, mora em minha rua o encanto feminino que atende pelo nome de Leylla Nascimento, encanto fantástico em cujo corpo é motivo real de admiração e encantamento, nela está estampada a beleza da mulher negra, daquela beldade absoluta que nos faz cair o queixo e inevitavelmente exclamarmos “que mulherão”.

Leylla nascimento, ícone sublime no rol das belas, pérola negra que carrega em si a suprema beleza das afro-descendentes, se sua beleza já é algo extasiante, vê-la caminhar com sua graça peculiar, é algo indubitavelmente de arrancar nossos aplausos.

Agraciados são os olhos que contemplam o poema Leylla Nascimento, mulher de beleza desmedida, corpo que enfeitiça e encanta, colírio natural que fascina olhares e maravilha as almas. Leylla é prova da existência divina, é a prova indiscutível de que o mundo está aos pés destas belas criaturas que iguais à ela, nasceram com o privilégio de ser mulher.

Nosso brinde à magnífica Leylla Nascimento, nossa gratidão pelo bem imensurável que ela faz para a nossa visão, ao mostrar-se tão impecável, esquecemos das adversidades do nosso dia a dia.

Aos internautas que buscam alívio para as vistas, fascinem-se com a real beleza da mulher negra, representada na imagem fascinante de Leylla Nascimento.

Toda nossa admiração, toda nossa devoção ao fenômeno Mulher, ao fascínio inenarrável de Leylla.

Viva Leylla Nascimento, pelo mérito de ser A BELA DA SEMANA.
  
*LEYLLA NASCIMENTO SILVA - 18 anos Nova Londrina PR – Filha de Francisco Ferreira Silva Filho e Maria Aparecida Nascimento da Silva – Estudante do 1° Ano do curso de Administração da UNIPAR – PARANAVAÍ.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A cultura discursiva nas redes sociais

Por Raquel Freitas:

Será que somos capazes de discutir temas mais profundos? Ou será que “não cabe a nós fazermos isso?”
A nossa sociedade, ultimamente, vem colocando em evidencia, nos sites de relacionamento, assuntos banais e que tomam proporções inacreditáveis, chamam a atenção para uma mesma coisa que só enche nossa página de letras, palavras e frases sem conteúdo. É tão bom quando alguém aparece com uma postagem interessante, o chato é que logo vem uma chuva de “besteirol”e a postagem acaba sumindo sem que muitos a vejam.
Em solidariedade e severo apoio ao que disse o jornalista Carlos Nascimento, sobre esse assunto, vale dizer “ou os nossos problemas acabaram, ou já fomos mais inteligentes”.
Existem tantos temas legais e interessantes para se discutir em redes sociais, vamos parar de escrever tanta besteira, sejamos mais originais.

*Raquel de Souza Freitas, graduada em Letras pela UNIMEO CTESOP e professora de letras nos colégios Pequeno Príncipe e Ary João Dresh.

SINA DE PROFESSOR.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

ONDE ESTÃO OS REVOLUCIONÁRIOS?

Por Lincoln de Britto Santos


O ser humano assim como os animais selvagens se manifesta diante do acoamento, da adversidade. Diversos foram os exemplos de homens que sonharam com mudanças em suas sociedades, e que diante da repressão tomaram a ação como o instrumento que os levasse a encontrar novos caminhos.

Homens como Spartacus na Idade Antiga diante do regime escravocrata romano lutou por liberdade, os primeiros cristãos, séculos depois sonharam em transformar a mesma e tirânica sociedade romana através dos valores ensinados pelo mestre Jesus Cristo.

 Mahatma Gandhi na Índia que através da política da não violência enfrentou a tirania britânica que há anos afligia seu povo. Temos outros exemplos como o pastor Martin Luther King que lutou a favor da igualdade de direitos entre brancos e negros nos EUA, Karl Marx que apontou os diversos erros do capitalismo e através de suas reflexões e estudos apresentou um novo modelo econômico a ser seguido. E claro nosso ilustre argentino Che Guevara que se tornou o símbolo da revolução em todo o mundo. 

Perante essa lista de revolucionários, onde se encontra os revolucionários do século XXI? Ou será que o mundo não necessita mais desses homens e mulheres de coragem, por finalmente ter se encontrado com um modelo de vida ideal?

Vida ideal? Acredito que ainda estamos longe de chegar a este patamar. Nós brasileiros, por exemplo, temos motivos de sobra para não chegarmos a  esta conclusão. Somos um dos países que mais se paga impostos, e somos um dos povos que menos recebe assistência governamental, temos a nossa disposição serviços públicos de péssima qualidade, e porque não temos grandes manifestações em prol de mudanças?

Pagamos impostos para enchermos os cofres do governo, para novamente pagar pelos mesmos serviços oferecidos pela iniciativa privada, isto não é motivo para indignar-se? Até aqui tudo bem, muitos ainda podem pagar um plano de saúde ou até mesmo uma escola particular para seus filhos, e quem não pode pagar, merece continuar morrendo nas filas dos hospitais e seus filhos merecem continuar recebendo uma péssima educação que obviamente não será capaz de levá-los mais tarde a uma universidade?

E a corrupção que neste país não é punida? Milhares de homens como Paulo Maluf que sempre se apoderaram de dinheiro público e nada lhes aconteceu? Será que nenhuma dessas coisas não poderia servir de estopim para os homens de boa fé entrarem em ação?

E no mundo da cultura o que são esses “lixos musicais” que estão sendo oferecidos a nossa juventude já não são suficientes para clamarmos por mudanças? E os programas de TV? Meu Deus!

E a desigualdade social? É justo existir num mesmo país ou até mesmo numa mesma rua, homens que possuam em suas garagens uma coleção de carros, que usam roupas e relógios caríssimos, que viajam para o exterior para gastar dinheiro de forma fútil em cassinos e shoppings, e enquanto isso exista pessoas que não tem onde morar nem o que comer?

E a natureza? Será que ninguém se indignará contra a insaciável sede de lucros deste “maligno” sistema econômico que não se preocupa com a destruição das florestas, com a contaminação das águas, do ar e do solo, com a extinção de milhares de animais, répteis e insetos?

E nossa mulheres, que ao longo dos anos lutaram para conquistar a liberdade, independência e igualdade, hoje sua maioria aceita de forma pacata serem mais uma vez humilhadas através das “músicas” e propagandas de cerveja?

Até quando muitas mulheres permitirão que seus corpos sejam vistos como meros objetos, e “válvulas de escape” para muitos homens estressados?E nosso modelo de família, onde o respeito, o carinho e a compreensão não estão mais presentes?

Meus amigos, acredito que diante de todos estes problemas a humanidade merece que novamente se levante homens e mulheres dispostos a lutar por uma vida mais digna, igualitária e prazerosa para todos. Precisamos de novos “Gandhis”, de novos “Ches” não de novos “Neros” que assistam de forma pacífica as chamas consumirem tudo que a humanidade construiu ao logo de sua existência.

Professor Lincoln de Britto Santos, 26 de janeiro de 2012.
  


Sabedoria de Marx.

"Horrorizai-vos porque queremos suprimir a propriedade privada. Mas na sociedade atual, a vossa, a propriedade privada está suprimida para nove décimos de seus membros.; ela existe precisamente pelo fato de nao existir para nove décimos dos seus membros". (Marx)

É exatamente assim a sociedade:

Lula visita Reynaldo Gianecchini em São Paulo

Instituto Cidadania

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado de sua esposa, Marisa Letícia, visitou ontem a tarde o ator Reynaldo Gianecchini, no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde ambos fazem tratamento. O encontro com Gianecchini e sua mãe, Heloisa Helena Gianecchini, durou cerca de meia hora.


A escolha do PSDB: o horror é a opção preferencial contra os pobres

Existem muitas explicações para a truculência, a desumanidade, a destituição do direito de cidadania aos pobres pelo poder público paulista.

- por Maria Inês Nassif, colunista política, editora da  Carta Maior em São Paulo



É o horror. Nada mais precisa ser dito para descrever a operação de despejo de Pinheirinho, em São José dos Campos, e a ação policial contra os usuários de crack no centro da capital, na chamada Cracolândia. Mas existem muitas explicações para a truculência, a desumanidade, a destituição do direito de cidadania aos pobres pelo poder público paulista.

A primeira delas é tão clara que até enrubesce. Nos dois casos, trata-se de espantar o rebotalho urbano de terrenos cobiçados pela especulação imobiliária. O Projeto Nova Luz do prefeito Kassab, que vem a ser a privatização do centro para grandes incorporadoras, vai ser construído sob os escombros da Cracolândia, sem que nenhuma política social tenha sido feita para minorar a miséria ou dar uma opção séria para crianças, adolescentes e adultos que se consomem na droga.

O terreno desocupado com requintes de crueldade em São José dos Campos, de propriedade da massa falida do ex-mega-investidor Naji Nahas, que já era de fato um bairro, vai ser destinado a um grande investimento, certamente. O presente de Natal atrasado para essas populações pobres libera esses territórios antes que terminem os mandatos dos atuais prefeitos, e o mais longe possível do calendário eleitoral. Rapidamente, a prefeitura de São Paulo está derrubando imóveis; a prefeitura de São José não deve demorar para limpar o terrreno de Pinheirinho das casas - inclusive de alvernaria - das quais os moradores foram expulsos.

Até outubro, no mínimo devem ter feito uma limpeza na paisagem, o que atenua nas urnas, pelo menos para a classe média, a ação da polícia. A higienização justifica a truculência policial. A "Cidade Limpa" de Kassab, que começou com a proibição de layouts na cidade, termina com a proibição de exposição da pobreza e da miséria humana.

A segunda é de ordem ideológica. Desde a morte de Mário Covas, que ainda conseguia erguer um muro de contenção para o PSDB paulista não guinar completamente à direita, não existe dentro do partido nenhuma resistência ao conservadorismo. Quando Geraldo Alckmin reassumiu o governo do Estado, em janeiro de 2011, muitas análises foram feitas sobre se ele, por força da briga por espaço político com José Serra dentro do partido, iria trazer o seu governo mais para o centro. A referência tomada foi o comando da Segurança Pública, já que em seu mandato anterior a truculência do então secretário, Saulo de Castro Abreu Filho, virou até denúncia contra o governo de São Paulo junto à Comissão de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos.

O fato de ter mantido Castro fora da Segurança e se aproximado do governo federal, incorporando alguns programas sociais federais, e uma relação nada íntima com o prefeito da capital, deram a impressão, no primeiro ano de governo, que Alckmin havia sido empurrado para o centro. O que não deixava de ser uma ironia: um político que nunca escondeu seu conservadorismo foi deslocado dessa posição por um adversário interno no partido, José Serra, que, vindo da esquerda, tornou-se a expressão máxima do conservadorismo nacional.

Isso não deixa de ser uma lição para a história. Superado o embate interno pela derrota incondicional de José Serra, que desde a sua derrota vinha perdendo terreno no partido e foi relegado à geladeira, depois da publicação de "Privataria Tucana", do jornalista Amaury Ribeiro Júnior, Alckmin volta ao leito. O governador é conservador; o PSDB tornou-se orgânicamente conservador, depois de oito anos de governo Fernando Henrique Cardoso (FHC) e oito anos de posição neoudenista. A polícia é truculenta - e organicamente truculenta, já que traz o modelo militar da ditadura e foi mais do que estimulada nos últimos governos a manter a lei, a ordem e esconder a miséria debaixo do tapete.

O nome de quem faz a gestão da Segurança Pública não interessa: está mais do que claro que passou pelo governador a ordem das invasões na Cracolândia e em Pinheirinho.

Outra análise que deve ser feita é a da banalização da desumanidade. Conforme a sociedade brasileira foi se polarizando politicamente entre PSDB e PT, a questão dos direitos humanos passou a ser tratada como um assunto partidário. O conservadorismo despiu-se de qualquer prurido de defender a ação policial truculenta, de tomar como justiça um Judiciário que, nos recantos do país, tem reiterado um literal apoio à propriedade privada, um total desprezo ao uso social da propriedade e legitimado a ação da polícia contra populações pobres (com nobres exceções, esclareça-se).

Para os porta-vozes desses setores, a polícia, armada, "reage" com inofensivas balas de borracha à agressão dos moradores que jogam pedras perigosíssimas contra escudos enormes da tropa de choque. No caso de Pinheirinho, a repórter Lúcia Rodrigues, que estava na ocupação, na sexta-feira, foi ela própria alvo de duas balas letais, vindas da pistola de um policial municipal. Ela não foi atingida, mas duvida, pela violência que presenciou, das informações de que tenha saído apenas uma pessoa gravemente ferida daquele cenário de guerra.


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Carta de Abraham Lincoln ao professor do seu filho.

"Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas por favor diga-lhe que, para cada vilão há um herói, que para cada egoísta, há também um líder dedicado, ensine-lhe por favor que para cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder, mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales.

Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos.

Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram.

Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.

Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor."  




Via  Professor José Costa, via Debatendo Educação  TERRA BRASILIS

VELHO MEU QUERIDO VELHO.

Pois um herói deve ser homenageado em vida.

Homem forte do outrora onde eu buscava refúgio, não me importava se caísse o mundo, em tua presença eu encontrava proteção. Foi teu, o segundo rosto que minha mente memorizou, pois pelo instinto materno da amamentação, é obvio que o primeiro rosto que meus olhos tomaram conhecimento, foi o dela.

Mesmo assim, não deixastes de ser um porto seguro em minha terna idade e a mim, ensinastes muito. Um dia, eu soube que o senhor não freqüentou escola, algo que me causou admiração, porém, fostes ao longo da minha vida um  notável professor e hoje, muito do que sei sobre a vida eu devo a ti.

Quando eu apareci, tu já tinhas 47 anos e neste período, a vida tinha te transformado num exímio artista que transformava o trigo em alimento, e deste ofício, fizestes teu ganha pão e deste pão, sustentastes tua numerosa prole da qual eu, fui o caçula.

Excelente amigo que eu cresci conhecendo, que acompanhou meus passos e testemunhou meus inúmeros momentos. Em meio ao mundo cão e corrompido, tu me ensinou honestidade e embora os tantos reveses da vida, nunca tirastes de outro aquilo que não te pertencia.

Melhor do que eu, colheu amigos por onde andou, semeou amizade, te tornastes sem igual onde a saúde te fazia um homem forte, homem forte que eu aprendi admirar e respeitar.

Cultuavas a beleza feminina, tinhas alma palhaça e fazias as pessoas rir, mesmo sem ter intimidade com a escrita, tu compunhas tuas músicas e as cantava e te envaidecias por elas serem aprovadas por teus ouvintes. Lembras-te disso?

Ah meu querido velho... Eu me tornei adulto te admirando. Obviamente que tivemos os confrontos de idade, e nalgumas vezes não comunguei de tuas idéias e não te entendi, mas tu meu grande, fostes meu mestre e eu continuei te amando...

Hoje tu és um ancião de 83 anos, debilitado pelo peso dos dias, pelo alzheimer, pelo AVC e pelo coração que bate com a ajuda de um marcapasso. Mesmo assim, continuas me ensinando sobre a vida, mesmo depois que estes problemas varreram muita coisa de tua mente, fraquejou tua audição e dificultou a tua fala.

Velho meu querido velho, em tua velhice ainda me ensinas muito, assistindo teu enfado, aprendo que por mais que estamos velhos, a vida é curta, contigo, ainda aprendo o que deve ser feito para ser amado, contigo aprendo que orgulho e altivez não nos leva a nada, e que a tua humildade e simplicidade te faz um homem importante e amável.

Nós, todos os teus, sabemos do ciclo da vida, sabemos que estamos fadados a um só destino e que num dia muito triste tu serás saudade definitiva. Mas por hora, louvamos a graça de tua presença, mesmo que teu olhar já esteja cansado e vago, mesmo que hoje te ensinamos fazer aquilo que ensinastes a nós quando todos nós éramos teus pequenos filhos...

Amado pai, obrigado pois ainda continuas nos ensinando, e que a tua presença física ainda nos conforte por muito tempo neste mundo que é bom porque o senhor existe.

A sua benção meu querido velho.


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Veja é nocauteada: teve de publicar matéria sobre redução da pobreza

Por DiAfonso

A Veja não teve como negar os fatos: reproduziu matéria do Estadão na qual números positivos em relação à redução da pobreza foram apresentados.

A Veja - veículo de comunicação que produz jornalismo de esgoto e mantém em seu "plantel", do ponto de vista ético, os mais nefastos e imundos jornalistas - não conseguiu esconder os tais números e... foi ao chão.  O Estadão, também.

Outras quedas virão, pois a blogosfera independente e progressista [benfazeja alternativa aos grandes grupos midiáticos] está na trincheira para desmentir e denunciar as armações do Grupo Abril e seus cúmplices.
 Este período se inicia com o Governo Lula. Antes disso, a pobreza só fazia aumentar e deitar raízes Brasil afora.

Via  TERRA BRASILIS

TERRÁQUEOS BURROS.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Programas sociais brasileiros são referência internacional, afirma PNUD

As políticas sociais desenvolvidas pelo Brasil, em especial as ações focadas na erradicação da extrema pobreza e da fome, têm despertado interesse cada vez maior da comunidade internacional. Esta semana, representantes da área de desenvolvimento social da Palestina, Tunísia, África do Sul, Egito, Quênia e Índia estão no país para conhecer as experiências exitosas de programas como o Brasil sem Miséria.

Com o objetivo de atender de forma conjunta à demanda crescente por informações e trocas de experiências, as delegações foram convidadas a participar esta semana (17 a 20 de janeiro) de um seminário sobre políticas sociais que inclui palestras, debates e visitas a campo. “Foi uma das soluções que encontramos para responder, de forma conjunta, a vários países e potenciais parceiros interessados em conhecer nossas experiências”, explicou o Secretário-Executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Rômulo Paes de Sousa, durante a abertura do evento.

O seminário internacional “Políticas Sociais para o Desenvolvimento” é o primeiro de uma série que o MDS pretende fazer em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC). No contexto deste encontro, o MDS fez o lançamento da cartilha Plano Brasil sem Miséria traduzida para seis idiomas: inglês, espanhol, francês, russo, árabe e chinês. O material foi elaborado com apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

“Os programas sociais desenvolvidos pelo Brasil estão chamando muita atenção internacional. Hoje, podemos influenciar positivamente outros países do Hemisfério Sul com a gestão e modelos inovadores de políticas sociais e seus resultados, e disponibilizar informações em outras línguas é fundamental para que possamos disseminar e compartilhar experiências”, avalia a Oficial de Projetos do PNUD Maria Teresa Fontes. No Brasil, o PNUD trabalha em parceria com o MDS na execução de projetos de cooperação técnica e no apoio direto a ações vinculadas ao Plano Brasil sem Miséria.
Fonte: ONU Brasil
No Portal ANDI via BLOG DO SARAIVA 

sábado, 21 de janeiro de 2012

RAUL SEIXAS E MARCELO NOVA PREVIRAM ONDA POPULARESCA NO PAÍS

ISSO EM 1987


Falando do presente (o Rock Brasil), Marcelo Nova (E) e Raul Seixas, na verdade, previram o império da suposta "cultura popular" que tomaria conta do país após 1989.

Por Alexandre Figueiredo

Em 1987, a banda Camisa de Vênus, junto ao cantor Raul Seixas, gravou "Muita Estrela, Pouca Constelação", que Raul compôs com o então cantor do grupo, Marcelo Nova, antecipando uma parceria que resultaria, dois anos depois, no disco A Panela do Diabo, derradeiro trabalho do autor de "Ouro de Tolo".

Embora "Muita Estrela, Pouca Constelação" falasse sobre o Rock Brasil, a letra poderia ser vista como uma previsão da onda brega-popularesca que tomaria conta de todo o Brasil a partir de 1989, pouco após a morte de Raul Seixas. Essa onda brega-popularesca hoje enfrenta um processo de decadência, que nem a mais empenhada intelectualidade etnocêntrica, mesmo a infiltrada na imprensa esquerdista, é capaz de reverter.

Portanto, é uma mensagem subliminar que previu em 1987 a hegemonia quase que absoluta dos ídolos popularescos, alguns já fazendo sucesso naquele ano, como Chitãozinho & Xororó, Sullivan & Massadas, Wando e Fábio Jr..

Nova e Seixas eram declaradamente contra a música brega-popularesca, ainda que esse termo não houvesse existido (o termo "brega-popularesco" surgiu em 2003). Mas seus comentários contra a dita "música sertaneja" e contra a axé-music eram bem notórios. Tanto que a viúva e parceira de Raul, Kika Seixas, teve que mover um processo judicial para banir um disco-tributo oportunista da axé-music ao roqueiro baiano.

A letra de "Muita Estrela, Pouca Constelação" surpreende porque, em algumas passagens, há a citação da periferia e da crítica musical, e, se trocarmos os estilos roqueiros pelas tendências popularescas "equivalentes", veremos a profecia contundente quanto ao império da mediocridade cultural que dominou o país nos últimos vinte anos.

A profecia é contundente porque vai da festa midiática de 1990 (aludida na primeira estrofe) à retórica intelectualóide dos últimos anos (aludida na última), prevendo a sequência da retórica da "cultura da periferia" e seu discurso intelectualóide cheio de referenciais intelectuais inexistentes nas tendências popularescas (o "pós new old").

MUITA ESTRELA, POUCA CONSTELAÇÃO

(Raul Seixas / Marcelo Nova)

A festa é boa tem alguém que tá bancando
Que lhe elogia enquanto vai se embriagando
E o tal do ego vai ficando nas alturas
Usar brinquinho pra romper as estruturas (1)

E tem um punk se queixando sem parar
E um wave querendo desmunhecar
E o tal do heavy arrotando distorção
E uma dark em profunda depressão (2)

(refrão)
Eu sei até que parece sério, mas é tudo armação
O problema é muita estrela, prá pouca constelação (3)

Tinha um junkie se tremendo pelos cantos
Um empresário que jurava que era santo
Uma tiete que queria um qualquer
E uma sapatão que azarava minha mulher (4)

Tem uma banda que eles já vão contratar
Que não cria nada mas é boa em copiar
A crítica gostou, vai ser sucesso, ela não erra
Afinal lembra o que se fez na Inglaterra (5)

(refrão)

E agora vem a periferia (6)

O fotógrafo, ele vai documentar
O papo do mais novo big star
Pra'quela revista de rock e de intriga
Que você lê quando tem dor de barriga (7)

E o jonalista ele quer bajulação
Pós new old é a nova sensação (8)
A burrice é tanta, tá tudo tão à vista
E todo mundo posando de artista (9)

(refrão)

(1) Os versos podem remeter ao oba-oba da grande mídia, da TV aberta, rádios FM até revistas como Caras, à onda brega-popularesca. O "brinquinho" pode muito bem ser substituído pelos grosseiros piercings que "enfeitam" os umbigos das musas popozudas. O primeiro verso é uma alusão ao jabaculê ("tem alguém que está bancando").

(2) "Punk" poderia ser substituído pelo "funk carioca", devido à pretensa analogia que os intelectuais do brega-popularesco fazem para o ritmo carioca. O wave pode ser substituído tanto pelo brega juvenil (Gilliard, Nahim, Gretchen, Dominó) quanto pela lambada (Kaoma, Beto Barbosa) ou seu derivado forró-brega (Calcinha Preta, Aviões do Forró, Banda Calypso). Pela analogia "machista", o "heavy" pode ser substituído tanto pelo "pagode mauricinho" (sambrega) quanto pelo porno-pagode (É O Tchan, Parangolé). O "dark" pode tanto ser o "brega de raiz" (Waldick Soriano, Amado Batista, Odair José) quanto pela dita "música sertaneja" (breganejo), pela alusão à "tristeza extrema" de suas letras.

(3) No brega-popularesco, o surgimento de milhares de ídolos num só modismo - que o próprio Marcelo Nova definia como "monocultura" - não garantia sucesso a todos. Daí a pequena constelação do sucesso para muitos aspirantes a astros. Por isso a manobra malandra de alguns se dizerem "vítimas de preconceito" ou, mesmo no auge de seu sucesso, "discriminados pela grande mídia". O primeiro verso do refrão pode ser visto como uma alusão à obsessão dos ídolos brega-popularescos em serem considerados "artistas sérios".

(4) Junkies existem em qualquer tendência musical. No brega-popularesco, o cantor Rafael Ilha é um exemplo. O empresário de brega-popularesco geralmente se autoproclama um "modesto produtor cultural", um "singelo caçador de talentos". Há a tiete fanática por qualquer ídolo empurrado pela grande mídia, sobretudo aquelas que ficam histéricas nas plateias de nomes como Exaltasamba, Alexandre Pires e Bruno & Marrone. E a boazuda que prefere beijar outra mulher a ter um marido.

(5) A mediocridade nesta estrofe pode se associar a todo o brega-popularesco, mas aqui a ênfase é para os "sofisticados" ídolos da dita "música sertaneja", do "pagode romântico" e da axé-music, que nada criam, mas são hábeis em copiar clichês da fase "burguesa" da MPB (1977-1988). Nomes que nenhum crítico musical iria falar mal e que parecem ser sucesso certo. A falta de criatividade pode ser aludida também aos sucessivos discos ao vivo ou de covers que esses ídolos gravam depois de cinco anos de sucessos. Substitua "o que se faz na Inglaterra" por "O que se fez na música brasileira do passado" e se entenderá a analogia com breganejos, pagodeiros e axézeiros.

(6) A dupla previu que o brega-popularesco, num dado momento, teria que se autoproclamar "cultura da periferia". Sobretudo com o "funk carioca", com o tecnobrega e com tendências "curtidas" por camelôs e empregadas domésticas, por exemplo. É a apelação da suposta "cultura popular" de mercado em se autodefinir como "cultura da periferia" para assim garantir seu sucesso comercial por mais tempo.

(7) Essa estrofe alude à campanha para promover a tal "cultura da periferia": documentários (sentido do verbo "documentar"), "revistas de rock e de intriga" (sentido que pode ser substituído por "revistas de música, periódicos acadêmicos e imprensa esquerdista"), em defesa de ídolos rejeitados pela intelectualidade mais séria ("que você lê quando tem dor de barriga"), acusada pelos apologistas do brega-popularesco de "preconceituosos".

(8) Os dois primeiros versos da estrofe remetem ao clima de badalação em torno dos críticos musicais, cientistas sociais, artistas e celebridades que defendem qualquer tendência brega-popularesca. O termo "pós new old" é uma alusão à falácia "pós-moderna" de intelectuais atribuírem um monte de referenciais intelectuais em tendências da mediocridade como o "funk carioca" e o tecnobrega (que, na verdade, desconhecem e ignoram quaisquer desses referenciais), referenciais que vão de Antônio Conselheiro a Malcolm McLaren, passando por Oswald de Andrade, Zé Celso Martinez Correa, Glauber Rocha, Hélio Oiticica, Che Guevara, Leila Diniz etc. Exemplo dessa retórica delirante é o artigo "A índia negra branca do Pará", de Pedro Alexandre Sanches.

(9) O sentido desses dois versos pode ser este: a mediocridade cultural é gritante e explícita ("a burrice é tanta, tá tudo tão à vista"), nessa "cultura popular" que aparece no rádio FM e na TV aberta, mas graças à campanha de seus defensores, tudo é considerado "arte", tudo é considerado "verdadeira cultura popular" ("e todo mundo posando de artista").



Via Mingau de Aço 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...