APRESENTADO A COMARCA PARA O MUNDO E O MUNDO PARA A COMARCA

TEMOS O APOIO DE INFOMANIA SOLUÇÕES EM INFORMÁTICA Fones 9986 1218 - 3432 1208 - AUTO-MECÂNICA IDEAL FONE 3432-1791 - 9916-5789 - 9853-1862 - NOVA ÓTICA Fone (44) 3432 -2305 Cel (44) 8817- 4769 Av. Londrina, 935 - Nova Londrina/PR - VOCÊ É BONITA? VENHA SER A PRÓXIMA BELA DA SEMANA - Já passaram por aqui: LIDIANE TRAVASSOS - PATTY NAYRIANE - ELLYN FONSECA - BEATRIZ MENDONÇA - TAYSA SILVA - MARIELLA PAOLA - MARY FERNANDES - DANIELLE MEIRA - *Thays e Thamirys - ELLEN SOARES - DARLENE SOARES - MILENA RILANI - ISTEFANY GARCIA - ARYY SILVA - ARIANE SILVA - MAYARA TEIXEIRA - MAYARA TAKATA - PAOLA ALVES - MORGANA VIOLIM - MAIQUELE VITALINO - BRENDA PIVA - ESTEFANNY CUSTÓDIO - ELENI FERREIRA - GIOVANA LIMA - GIOVANA NICOLINI - EVELLIN MARIA - LOHAINNE GONÇALVES - FRANCIELE ALMEIDA - LOANA XAVIER - JOSIANE MEDEIROS - GABRIELA CRUZ- KARINA SPOTTI - TÂNIA OLIVEIRA - RENATA LETÍCIA - TALITA FERNANDA - JADE CAROLINA - TAYNÁ MEDEIROS - BEATRIZ FONTES - LETYCIA MEDEIROS - MARYANA FREITAS - THAYLA BUGADÃO NAVARRO - LETÍCIA MENEGUETTI - STEFANI ALVES - CINDEL LIBERATO - RAFA REIS - BEATRYZ PECINI - IZABELLY PECINI - THAIS BARBOSA - MICHELE CECCATTO - JOICE MARIANO - LOREN ZAGATI - GISELE BERNUSSO - RAFAELA RAYSSA - LUUH XAVIER - SARAH CRISTINA - YANNA LEAL - LAURA ARAÚJO TROIAN - GIOVANNA MONTEIRO DA SILVA - PRISCILLA MARTINS RIL - GABRIELLA MENEGUETTI JASPER - MARIA HELLOISA VIDAL SAMPAIO - HELOÍSA MONTE - DAYARA GEOVANA - ADRIANA SANTOS - EDILAINE VAZ - THAYS FERNANDA - CAMILA COSTA - JULIANA BONFIM - MILENA LIMA - DYOVANA PEREZ - JULIANA SOUZA - JESSICA BORÉGIO - JHENIFER GARBELINI - DAYARA CALHEIROS - ALINE PEREIRA - ISABELA AGUIRRE - ANDRÉIA PEREIRA - MILLA RUAS - MARIA FERNANDA COCULO - FRANCIELLE OLIVEIRA - DEBORA RIBAS - CIRLENE BARBERO - BIA SLAVIERO - SYNTHIA GEHRING - JULIANE VIEIRA - DUDA MARTINS - GISELI RUAS - DÉBORA BÁLICO - JUUH XAVIER - POLLY SANTOS - BRUNA MODESTO - GIOVANA LIMA - VICTÓRIA RONCHI - THANYA SILVEIRA - ALÉKSIA LAUREN - DHENISY BARBOSA - POLIANA SENSON - LAURA TRIZZ - FRANCIELLY CORDEIRO - LUANA NAVARRO - RHAYRA RODRIGUES - LARISSA PASCHOALLETO - ALLANA BEATRIZ - WANDERLÉIA TEIXEIRA CAMPOS - BRUNA DONATO - VERÔNICA FREITAS - SIBELY MARTELLO - MARCELA PIMENTEL - SILVIA COSTA - JHENIFER TRIZE - LETÍCIA CARLA -FERNANDA MORETTI - DANIELA SILVA - NATY MARTINS - NAYARA RODRIGUES - STEPHANY CALDEIRA - VITÓRIA CEZERINO - TAMIRES FONTES - ARIANE ROSSIN - ARIANNY PATRICIA - SIMONE RAIANE - ALÉXIA ALENCAR - VANESSA SOUZA - DAYANI CRISTINA - TAYNARA VIANNA - PRISCILA GEIZA - PATRÍCIA BUENO - ISABELA ROMAN - RARYSSA EVARISTO - MILEIDE MARTINS - RENATHA SOLOVIOFF - BEATRIZ DOURADO - NATALIA LISBOA - ADRIANA DIAS - SOLANGE FREITAS - LUANA RIBEIRO - YARA ROCHA - IDAMARA IASKIO - CAMILA XAVIER - BIA VIEIRA - JESSICA RODRIGUES - AMANDA GABRIELLI - BARBARA OLIVEIRA - VITORIA NERES - JAQUE SANTOS - KATIA LIMA - ARIELA LIMA - MARIA FERNANDA FRANCISQUETI - LARA E LARISSA RAVÃ MATARUCO - THATY ALVES - RAFAELA VICENTIN - ESTELLA CHIAMULERA - KATHY LOPES - LETICIA CAVALCANTE PISCITELI - VANUSA SANTOS - ROSIANE BARILLE - NATHÁLIA SORRILHA - LILA LOPES - PRISCILA LUKA - SAMARA ALVES - JANIELLY BOTA - ELAINE LEITE CAVALCANTE - INGRID ZAMPOLLO - DEBORA MANGANELLI - MARYHANNE MAZZOTTI - ROSANI GUEDES - JOICE RUMACHELLA - DAIANA DELVECHIO - KAREN GONGORA - FERNANDA HENRIQUE - KAROLAYNE NEVES TOMAS - KAHENA CHIAMULERA - MACLAINE SILVÉRIO BRANDÃO - IRENE MARY - GABRIELLA AZEVEDO - LUANA TALARICO - LARISSA TALARICO - ISA MARIANO - LEIDIANE CARDOSO - TAMIRES MONÇÃO - ALANA ISABEL - THALIA COSTA - ISABELLA PATRICIO - VICTHORIA AMARAL - BRUNA LIMA - ROSIANE SANTOS - LUANA STEINER - SIMONE OLIVEIRA CUSTÓDIO - MARIELLE DE SÁ - GISLAINE REGINA - DÉBORA ALMEIDA - KIMBERLY SANTOS - ISADORA BORGHI - JULIANA GESLIN - BRUNA SOARES - POLIANA PAZ BALIEIRO - GABRIELA ALVES - MAYME SLAVIERO - GABRIELA GEHRING - LUANA ANTUNES - KETELEN DAIANA - PAOLLA NOGUEIRA - POLIANY FERREIRA DOS ANOS - LUANA DE MORAES - EDILAINE TORRES - DANIELI SCOTTA - JORDANA HADDAD - WINY GONSALVES - THAÍSLA NEVES - ÉRICA LIMA CABRAL - ALEXIA BECKER - RAFAELA MANGANELLI - CAROL LUCENA - KLAU PALAGANO - ELISANDRA TORRES - WALLINA MAIA - JOYCE SAMARA - BIANCA GARCIA - SUELEN CAROLINE - DANIELLE MANGANELLI - FERNANDA HARUE - YARA ALMEIDA - MAYARA FREITAS - PRISCILLA PALMA - LAHOANA MOARAES - FHYAMA REIS - KAMILA PASQUINI - SANDY RIBEIRO - MAPHOLE MENENGOLO - TAYNARA GABELINI - DEBORA MARRETA - JESSICA LAIANE - BEATRIS LOUREIRO - RAFA GEHRING - JOCASTA THAIS - AMANDA BIA - VIVIAN BUBLITZ - THAIS BOITO - SAMIA LOPES - BRUNA PALMA - ALINE MILLER - CLEMER COSTA - LUIZA DANIARA – ANA CLAUDIA PICHITELLI – CAMILA BISSONI – ERICA SANTANA - KAROL SOARES - NATALIA CECOTE - MAYARA DOURADO - LUANA COSTA - ANA LUIZA VEIT - CRIS LAZARINI - LARISSA SORRILHA - ROBERTA CARMO - IULY MOTA - KAMILA ALVES - LOISLENE CRISTINA - THAIS THAINÁ - PAMELA LOPES - ISABELI ROSINSKI - GABRIELA SLAVIERO - LIARA CAIRES - FLÁVIA OLIVEIRA - GRAZI MOREIRA - JESSICA SABRINNI - RENATA SILVA -SABRINA SCHERER - AMANDA NATALIÊ - JESSICA LAVRATE - ANA PAULA WESTERKAMP- RENATA DANIELI - GISELLY RUIZ - ENDIARA RIZZO - *DAIANY E DHENISY BARBOSA - KETLY MILLENA - MICHELLE ENUMO - ISADORA GIMENES - GABRIELA DARIENSO - MILENA PILEGI - TAMIRES ONISHI - EVELIN FEROLDI - ELISANGELA SILVA - PAULA FONTANA CAVAZIM - ANNE DAL PRÁ - POLLIANA OGIBOWISKI - CAMILA MELLO - PATRICIA LAURENTINO - FLOR CAPELOSSI - TAMIRES PICCOLI - KATIELLY DA MATTA - BIANCA DONATO - CATIELE XAVIER - JACKELINE MARQUES - CAROL MAZZOTTI - DANDHARA JORDANA - BRENDA GREGÓRIO - DUDA LOPES - MILENA GUILHEN - MAYARA GREGÓRIO - BRUNA BOITO - BETHÂNIA PEREIRA - ARIELLI SCARPINI - CAROL VAZ - GISELY TIEMY -THAIS BISSONI - MARIANA OLIVEIRA - GABRIELA BOITO - LEYLLA NASCIMENTO - JULIANA LUCENA- KRISTAL ZILIO - RAFAELA HERRERA - THAYANA CRISTINA VAZ - TATIANE MONGELESKI - NAYARA KIMURA - HEGILLY CORREIA MIILLER - FRANCIELI DE SANTI - PAULA MARUCHI FÁVERO - THAÍS CAROLINY - IASMIM PAIVA - ALYNE SLAVIERO - ISABELLA MELQUÍADES - ISABELA PICOLLI - AMANDA MENDES - LARISSA RAYRA - FERNANDA BOITO - EMILLY IZA - BIA MAZZOTTI - LETICIA PAIVA - PAOLA SLAVIERO - DAIANA PISCITELLE - ANGELINA BOITO - TALITA SANTOS Estamos ha 07 anos no ar - Mais de 700 acessos por dia, mais de um milhão de visualizações - http://mateusbrandodesouza.blogspot.com.br/- Obrigado por estar aqui, continue com a gente

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

"O mundo girou, de leve, à esquerda"

Parece espantoso no Brasil, mas a tendência internacional é de recuo dos conservadores. Qual o sentido e os limites desta novidade?

Ernst Fiene, Mudança Noturna (1939)

Por Immanuel Wallerstein, 
No blog Outras Palavras

A vitória arrasadora de Jeremy Corbin em 24 de setembro, na disputa pela liderança do Partido Trabalhista da Grã-Bretanha, foi espantosa e totalmente inesperada. Ele começou quase sem apoio suficiente para participar da disputa. Apresentou uma plataforma de esquerda sem concessões. E então, diante de três candidatos mais convencionais, obteve 59,5% dos votos, numa eleição que teve comparecimento extraordinário, de 76%.

Imediatamente, os sabichões e a imprensa opinaram que sua liderança e plataforma asseguram vitória do Partido Conservador nas próximas eleições. Terão certeza? Ou o desempenho de Corbyn indica um ressurgimento da esquerda. E neste caso, isso é válido apenas para a Grã-Bretanha?

Se o cenário político mundial está se movendo para a direita ou para a esquerda é tema favorito das discussões políticas. Um dos problemas com esta discussão sempre foi o fato de a direção das tendências políticas ser normalmente avaliada a partir da força da posição mais extrema, à esquerda ou à direita, numa dada eleição. Isso deixa de lado, contudo, o ponto mais importante da política eleitoral em países com sistemas parlamentares construídos em torno de partidos de centro-esquerda e centro-direita.

A primeira coisa a lembrar é que há um largo leque de posições possíveis, em qualquer momento dado, em qualquer local. Simbolicamente, vamos dizer que o espectro varia de 1 a 10, num eixo esquerda-direita. Se os partidos ou os líderes políticos movem-se de 2 para 3, de 5 para 6 ou de 8 para 10, isso indica um giro à direita. E números reversos (9-8, 6-5, 3-2) indicam uma virada à esquerda.

Com base neste tipo de medida, o último ano assistiu um importante giro à esquerda, no plano mundial. Há diversos sinais claros desta mudança. Um é o crescimento contínuo da força de Bernie Sanders, na disputa pela candidatura do Partido Democrata à presidência dos EUA. Não significa que ele derrotará Hillary Clinton, mas que, para conter a ascensão de Sanders, Clinton teve de assumir posições mais à esquerda.

Observe um acontecimento similar na Austrália. O Partido Liberal, de direita, agora no poder, removeu Tony Abbott de sua liderança, em 15 de setembro. Abbott era conhecido por seu ceticismo intransigente diante da mudança climática e por sua posição extremamente dura diante da imigração na Austrália. Foi substituído por Malcolm Turnbull, que é considerado um pouco mais aberto nestas questões. De modo similar, o Partido Conservador britânico amenizou suas propostas de “austeridade” para disputar potenciais eleitores de Corbyn. São mudanças 9-8, em nossa escala hipotética.

Na Espanha, o primeiro-ministro Mariano Rajoy, do Partido Popular, enfrenta o avanço de Pablo Iglesias, do Podemos, que propõe uma plataforma anti-”austeridade” similar à que foi longamente defendida pelo Syriza, na Grécia. O Partido Popular deu-se muito mal nas eleições locais e regionais de 24 de maio. Rajoy resiste a qualquer giro à esquerda de seu partido e o resultado tem sido uma perspectiva ainda pior, nas próximas eleições nacionais. Depois de sua recente derrota nas eleições “independentistas” da Catalunha, Rajoy afundou ainda mais. Questão: ele poderá sobreviver como líder de seu partido, ou será substituído, como Tony Abbott na Austrália, por um líder um pouco menos rígido?

A Grécia é o exemplo mais interessante desta mudança. Houve três eleições este ano. Na primeira, em 25 de janeiro, o Syriza chegou ao poder para surpresa de muitos analistas, com base numa plataforma anti-“austeridade”, e com a retórica tradicional de esquerda.

Quando o Syriza descobriu que os países europeus não aceitavam as demandas da Grécia, que reivindicava alívio de muitos compromissos relacionados a sua dívida, o primeiro-ministro Alexis Tsipras convocou um referendo sobre rejeitar ou não as condições da Europa. O chamado voto “Oxi” (Não) venceu por larga margem em 5 de Julho. Sabemos o que ocorreu em seguida. Além de rejeitar qualquer concessão, os credores europeus ofereceram condições ainda piores à Grécia, as quais Tsipras julgou que teria, em larga medida, de aceitar.

Mais uma vez, os analistas concentraram-se na “traição” de Tsipras a sua promessa. O setor à esquerda do Syriza rachou e formou um novo partido. Em meio à confusão, poucos comentaram o que ocorreu com o partido Nova Democracia, de direita, que antecedeu o Syriza no governo. Lá, o líder Antonis Samaras foi substituído por Vangilis Meimaraki, uma mudança de 9-8, ou talvez de 8-7, numa tentativa de disputar os votos de centro com o Syriza.

O giro conservador à esquerda não foi bem-sucedido. O Syriza venceu novamente. O grupo de esquerda que rachou não conseguiu manter-se no Parlamento. Mas por que o Syriza venceu? Parece que os eleitores julgaram que estariam melhor, ainda que apenas um pouco melhor, com o Syriza, que minimizou os cortes de aposentadorias e outras proteções do estado de bem-estar social. Em resumo, na pior situação possível para a esquerda grega, o Syriza ao menos não perdeu terreno.

O que, você pode perguntar, tudo isso significa. Parece claro que, num mundo que vive em meio a grande incerteza econômica e condições de vida piores para largos segmentos da população, os partidos no poder tendem a ser culpados e a perder força eleitoral. Por isso, após o giro à esquerda da última década, o pêndulo está se movendo em outra direção.

Que diferença isso faz? Mais uma vez, eu insisto, depende de se observamos no curto ou no médio prazo. No curto prazo, faz muita diferença, já que as pessoas vivem (e sofrem) no curto prazo. Qualquer coisa que “minimize o sofrimento” é um avanço. Portanto, este tipo de giro “à esquerda” é um avanço. Mas no médio prazo não faz diferença alguma. Na verdade, a mudança tende a obscurecer a batalha real – aquela que diz respeito à direção das transformações do sistema mundo-capitalista para um novo sistema (ou sistemas). A batalha é entre os que querem um novo sistema ainda pior que o atual e os que querem algo substancialmente melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...