APRESENTADO A COMARCA PARA O MUNDO E O MUNDO PARA A COMARCA

TEMOS O APOIO DE INFOMANIA SOLUÇÕES EM INFORMÁTICA Fones 9986 1218 - 3432 1208 - AUTO-MECÂNICA IDEAL FONE 3432-1791 - 9916-5789 - 9853-1862 - JOALHERIA OURO BRANCO 44 9839-3200 - NOVA ÓTICA Fone (44) 3432 -2305 Cel (44) 8817- 4769 Av. Londrina, 935 - Nova Londrina/PR - VOCÊ É BONITA? VENHA SER A PRÓXIMA BELA DA SEMANA - Já passaram por aqui: ELLEN SOARES - DARLENE SOARES - MILENA RILANI - ISTEFANY GARCIA - ARYY SILVA - ARIANE SILVA - MAYARA TEIXEIRA - MAYARA TAKATA - PAOLA ALVES - MORGANA VIOLIM - MAIQUELE VITALINO - BRENDA PIVA - ESTEFANNY CUSTÓDIO - ELENI FERREIRA - GIOVANA LIMA - GIOVANA NICOLINI - EVELLIN MARIA - LOHAINNE GONÇALVES - FRANCIELE ALMEIDA - LOANA XAVIER - JOSIANE MEDEIROS - GABRIELA CRUZ- KARINA SPOTTI - TÂNIA OLIVEIRA - RENATA LETÍCIA - TALITA FERNANDA - JADE CAROLINA - TAYNÁ MEDEIROS - BEATRIZ FONTES - LETYCIA MEDEIROS - MARYANA FREITAS - THAYLA BUGADÃO NAVARRO - LETÍCIA MENEGUETTI - STEFANI ALVES - CINDEL LIBERATO - RAFA REIS - BEATRYZ PECINI - IZABELLY PECINI - THAIS BARBOSA - MICHELE CECCATTO - JOICE MARIANO - LOREN ZAGATI - GISELE BERNUSSO - RAFAELA RAYSSA - LUUH XAVIER - SARAH CRISTINA - YANNA LEAL - LAURA ARAÚJO TROIAN - GIOVANNA MONTEIRO DA SILVA - PRISCILLA MARTINS RIL - GABRIELLA MENEGUETTI JASPER - MARIA HELLOISA VIDAL SAMPAIO - HELOÍSA MONTE - DAYARA GEOVANA - ADRIANA SANTOS - EDILAINE VAZ - THAYS FERNANDA - CAMILA COSTA - JULIANA BONFIM - MILENA LIMA - DYOVANA PEREZ - JULIANA SOUZA - JESSICA BORÉGIO - JHENIFER GARBELINI - DAYARA CALHEIROS - ALINE PEREIRA - ISABELA AGUIRRE - ANDRÉIA PEREIRA - MILLA RUAS - MARIA FERNANDA COCULO - FRANCIELLE OLIVEIRA - DEBORA RIBAS - CIRLENE BARBERO - BIA SLAVIERO - SYNTHIA GEHRING - JULIANE VIEIRA - DUDA MARTINS - GISELI RUAS - DÉBORA BÁLICO - JUUH XAVIER - POLLY SANTOS - BRUNA MODESTO - GIOVANA LIMA - VICTÓRIA RONCHI - THANYA SILVEIRA - ALÉKSIA LAUREN - DHENISY BARBOSA - POLIANA SENSON - LAURA TRIZZ - FRANCIELLY CORDEIRO - LUANA NAVARRO - RHAYRA RODRIGUES - LARISSA PASCHOALLETO - ALLANA BEATRIZ - WANDERLÉIA TEIXEIRA CAMPOS - BRUNA DONATO - VERÔNICA FREITAS - SIBELY MARTELLO - MARCELA PIMENTEL - SILVIA COSTA - JHENIFER TRIZE - LETÍCIA CARLA -FERNANDA MORETTI - DANIELA SILVA - NATY MARTINS - NAYARA RODRIGUES - STEPHANY CALDEIRA - VITÓRIA CEZERINO - TAMIRES FONTES - ARIANE ROSSIN - ARIANNY PATRICIA - SIMONE RAIANE - ALÉXIA ALENCAR - VANESSA SOUZA - DAYANI CRISTINA - TAYNARA VIANNA - PRISCILA GEIZA - PATRÍCIA BUENO - ISABELA ROMAN - RARYSSA EVARISTO - MILEIDE MARTINS - RENATHA SOLOVIOFF - BEATRIZ DOURADO - NATALIA LISBOA - ADRIANA DIAS - SOLANGE FREITAS - LUANA RIBEIRO - YARA ROCHA - IDAMARA IASKIO - CAMILA XAVIER - BIA VIEIRA - JESSICA RODRIGUES - AMANDA GABRIELLI - BARBARA OLIVEIRA - VITORIA NERES - JAQUE SANTOS - KATIA LIMA - ARIELA LIMA - MARIA FERNANDA FRANCISQUETI - LARA E LARISSA RAVÃ MATARUCO - THATY ALVES - RAFAELA VICENTIN - ESTELLA CHIAMULERA - KATHY LOPES - LETICIA CAVALCANTE PISCITELI - VANUSA SANTOS - ROSIANE BARILLE - NATHÁLIA SORRILHA - LILA LOPES - PRISCILA LUKA - SAMARA ALVES - JANIELLY BOTA - ELAINE LEITE CAVALCANTE - INGRID ZAMPOLLO - DEBORA MANGANELLI - MARYHANNE MAZZOTTI - ROSANI GUEDES - JOICE RUMACHELLA - DAIANA DELVECHIO - KAREN GONGORA - FERNANDA HENRIQUE - KAROLAYNE NEVES TOMAS - KAHENA CHIAMULERA - MACLAINE SILVÉRIO BRANDÃO - IRENE MARY - GABRIELLA AZEVEDO - LUANA TALARICO - LARISSA TALARICO - ISA MARIANO - LEIDIANE CARDOSO - TAMIRES MONÇÃO - ALANA ISABEL - THALIA COSTA - ISABELLA PATRICIO - VICTHORIA AMARAL - BRUNA LIMA - ROSIANE SANTOS - LUANA STEINER - SIMONE OLIVEIRA CUSTÓDIO - MARIELLE DE SÁ - GISLAINE REGINA - DÉBORA ALMEIDA - KIMBERLY SANTOS - ISADORA BORGHI - JULIANA GESLIN - BRUNA SOARES - POLIANA PAZ BALIEIRO - GABRIELA ALVES - MAYME SLAVIERO - GABRIELA GEHRING - LUANA ANTUNES - KETELEN DAIANA - PAOLLA NOGUEIRA - POLIANY FERREIRA DOS ANOS - LUANA DE MORAES - EDILAINE TORRES - DANIELI SCOTTA - JORDANA HADDAD - WINY GONSALVES - THAÍSLA NEVES - ÉRICA LIMA CABRAL - ALEXIA BECKER - RAFAELA MANGANELLI - CAROL LUCENA - KLAU PALAGANO - ELISANDRA TORRES - WALLINA MAIA - JOYCE SAMARA - BIANCA GARCIA - SUELEN CAROLINE - DANIELLE MANGANELLI - FERNANDA HARUE - YARA ALMEIDA - MAYARA FREITAS - PRISCILLA PALMA - LAHOANA MOARAES - FHYAMA REIS - KAMILA PASQUINI - SANDY RIBEIRO - MAPHOLE MENENGOLO - TAYNARA GABELINI - DEBORA MARRETA - JESSICA LAIANE - BEATRIS LOUREIRO - RAFA GEHRING - JOCASTA THAIS - AMANDA BIA - VIVIAN BUBLITZ - THAIS BOITO - SAMIA LOPES - BRUNA PALMA - ALINE MILLER - CLEMER COSTA - LUIZA DANIARA – ANA CLAUDIA PICHITELLI – CAMILA BISSONI – ERICA SANTANA - KAROL SOARES - NATALIA CECOTE - MAYARA DOURADO - LUANA COSTA - ANA LUIZA VEIT - CRIS LAZARINI - LARISSA SORRILHA - ROBERTA CARMO - IULY MOTA - KAMILA ALVES - LOISLENE CRISTINA - THAIS THAINÁ - PAMELA LOPES - ISABELI ROSINSKI - GABRIELA SLAVIERO - LIARA CAIRES - FLÁVIA OLIVEIRA - GRAZI MOREIRA - JESSICA SABRINNI - RENATA SILVA -SABRINA SCHERER - AMANDA NATALIÊ - JESSICA LAVRATE - ANA PAULA WESTERKAMP- RENATA DANIELI - GISELLY RUIZ - ENDIARA RIZZO - *DAIANY E DHENISY BARBOSA - KETLY MILLENA - MICHELLE ENUMO - ISADORA GIMENES - GABRIELA DARIENSO - MILENA PILEGI - TAMIRES ONISHI - EVELIN FEROLDI - ELISANGELA SILVA - PAULA FONTANA CAVAZIM - ANNE DAL PRÁ - POLLIANA OGIBOWISKI - CAMILA MELLO - PATRICIA LAURENTINO - FLOR CAPELOSSI - TAMIRES PICCOLI - KATIELLY DA MATTA - BIANCA DONATO - CATIELE XAVIER - JACKELINE MARQUES - CAROL MAZZOTTI - DANDHARA JORDANA - BRENDA GREGÓRIO - DUDA LOPES - MILENA GUILHEN - MAYARA GREGÓRIO - BRUNA BOITO - BETHÂNIA PEREIRA - ARIELLI SCARPINI - CAROL VAZ - GISELY TIEMY -THAIS BISSONI - MARIANA OLIVEIRA - GABRIELA BOITO - LEYLLA NASCIMENTO - JULIANA LUCENA- KRISTAL ZILIO - RAFAELA HERRERA - THAYANA CRISTINA VAZ - TATIANE MONGELESKI - NAYARA KIMURA - HEGILLY CORREIA MIILLER - FRANCIELI DE SANTI - PAULA MARUCHI FÁVERO - THAÍS CAROLINY - IASMIM PAIVA - ALYNE SLAVIERO - ISABELLA MELQUÍADES - ISABELA PICOLLI - AMANDA MENDES - LARISSA RAYRA - FERNANDA BOITO - EMILLY IZA - BIA MAZZOTTI - LETICIA PAIVA - PAOLA SLAVIERO - DAIANA PISCITELLE - ANGELINA BOITO - TALITA SANTOS Estamos ha 07 anos no ar - Mais de 700 acessos por dia, mais de um milhão de visualizações - http://mateusbrandodesouza.blogspot.com.br/- Obrigado por estar aqui, continue com a gente

sexta-feira, 25 de março de 2016

Crimes de ódio e incitação à violência: um desafio

"Na tela do computador os internautas não observam as pessoas humanas atacadas como pessoas, mas como um papel em branco, desumanizado, e desencadeiam uma absurda disputa para ver quem vai agradar melhor seu líder violento".


Por Adriana Dias
Vivemos um momento conturbado. Há medo e ódio nas redes e nas ruas. Muitos se aventuram em afirmar que a cordialidade do Brasil desapareceu. No entanto, quando Sérgio Buarque de Holanda cunhou, em Raízes do Brasil, a cordialidade brasileira, o tipo humano de homem cordial (fundamentado nas ideias de tipo ideal de Max Weber), ele descrevia um comportamento que não elimina a violência. A minoria talvez entenda, mas o Homem Cordial, em Holanda, se refere exatamente à personalidade dada a atitudes extremas, de grande oscilação, portanto, possível de atuar com extrema violência. A violência do brasileiro, dentro dos moldes pensados pelo autor, é expressa no momento em que o brasileiro se mostra incapaz de assegurar um comportamento contra a cidadania, à padrões legais e a à ordem pública.

O texto de Holanda descreve o comportamento do homem cordial como caracterizado por aquele que não pretende assumir responsabilidades, mas obedece a sugestões e incitações, exatamente por isso. Como o Adão bíblico, que responsabiliza a mulher e o criador, afirmando a mulher que tu fizeste me deu de comer, e “assim eu fiz”, o homem cordial agiria seguindo a vontade de quem o incita, sem perceber sua responsabilidade ou omissão no ato de aceitar a ordem como absoluta.

É totalmente diferente da banalidade do mal arenditiana, por exemplo, em que a mediocridade do burocrata, que faz preciosa e meticulosamente seu trabalho, sem se importar com a moralidade do solicitado, e depois dá de ombros: foram ordens. Aqui o que há é um não pensar, um não analisar, e isso torna a reação do brasileiro a incitação uma imensa pólvora na mão de quem acende pavios. Aqui pesa é o desejo gregário, a força do grupo funciona como alavanca para expressões desprovidas de análise ou meticulosidade.

Um exemplo bem evidente deste processo se revelou quando foi encontrado o grupo de Facebook “QLS”, que o Ministério Público apontou como responsável pelos ataques racistas a jornalista Maria Júlia Coutinho, a ‘Maju’, e a atrizes como Thaís Araújo. “QLC” é sigla para “Que Loucura Cara”’, o grupo possuía milhares de participantes, e um de seus líderes, classificado pelos investigadores como “Extremamente racista, homofóbico e com desvio de caráter muito grande” era seguido por com 25 mil internautas. Ele e outros líderes do grupo assumiam a “chefia” do ataque, escolhendo alvo e que tipo de ódio deveria ser demonstrado a ele.

Como este grupo, outras dezenas, com milhares de seguidores desenvolvem o mesmo tipo de prática. Assustados, muitos se perguntam a razão. Tenho algumas observações sobre o tema. Vamos a elas.

Notadamente jovens, os internautas chamavam a ação de ódio de “treta”, “onda”, “loucura”, “diversão”. Os líderes do linchamento virtual eram tidos como “grandes”, “muito loucos”, “manos grandes”. E a ação acontecia de forma direcionada, em escala, atacando o perfil do alvo, suas postagens, com todo tipo de ódio possível. Era um verdadeira corrida para ver que fazia a mensagem mais carregada, basta ler os textos em questão.

Mas porque os jovens estão competindo pela vaga de pior internauta do milênio? Que tipo de satisfação está por trás desse movimento? Porque isto acontece?

A situação, obviamente me incomodou apensar, visto que há mais de doze anos estudo crimes de ódio. Lembrei-me de uma entrevista que concedi certa vez à revista Carta Capital, em que comentava porque as manifestações de ódio disparavam nas redes (isso foi medido pela Safernet, que mapeia este tipo de discurso), quando o deputado federal Jair Bolsonaro usava a palavra no mesmo sentido.

Falta exemplo a estes jovens, falta educação para Direitos Humanos, falta internalizar conceitos como cidadania e dignidade humana. Bolsonaro acaba desempenhando, infelizmente, como os líderes da comunidade citada, o “mano” dando carta branca para a livre expressão da violência, sem qualquer medida coercitiva. Na tela do computador os internautas não observam as pessoas humanas atacadas como pessoas, mas como um papel em branco, desumanizado, e desencadeiam uma absurda disputa para ver quem vai agradar melhor seu líder violento.

Muitos exemplos recentes demonstram essa faceta de submissão das massas à violência dos que tem como líderes, e é possível observar o fato na manifestação que agrediu o Ministro do STF, Teori Zavascki , na frente de sua casa, com gritos e som alto, respondendo, entre outros, ao chamado do cantor Lobão no Twitter, para execução de violência contra o Ministro e sua família por sua decisão de solicitar de volta os processos referentes ao ex-presidente Lula. Nenhuma instituição merece ser respeitada para líderes inflamados. É preciso que juízes voltem a ser juízes, e para tanto, sua vida privada não pode um elemento em disputa.

Afirmo novamente: isto não é a final de um campeonato de futebol, um último capítulo de novela, é uma Nação. Importa estabelecer limites para quem se comporta continuadamente como um radical fanático, como um membro de torcida organizada fora de si que, vendo sua decepção em campo, simplesmente resolve quebrar tudo. Há que se ter muito respeito às instituições.

Obviamente, os que aceitam responder à solicitação do cantor devem ser punidos, mas também ele. Sem punir adequadamente os que conclamam violência, como preveniremos a questão? No Brasil, crimes de ódio carecem de legislação específica, inclusive para incluir a tipificação de linchamento (punindo o grupo, não apenas o mandante), mas também para evitar essa impunidade que transforma o Brasil em um barril de pólvora nômade. Não é possível que jornalistas incitem claramente que se soltem todas bestas feras em cima de pessoas (como fez Rodrigo Constantino em sua lista de celebridades brasileiras a serem boicotadas, recentemente), como tem feito uma parte da direita, senão toda, de maneira abusiva. Quem conclama o ódio é tão responsável pelos atos praticados por seus seguidores, como os brasileiros cordiais que se submetem. Precisamos, urgentemente, de uma legislação que afirme isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...